sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Ventos


Meu coração anda meio perdido, solitário. Li esse texto e fiquei otimista. Ainda não me deram nada, se me deram ainda não aprendi a amar e talvez não seja bom amar o que tenho. Quero muito mais do que me oferecem.
Outro dia me perguntei há quanto não ouço um "Eu te Amo", dito de verdade. Fiquei triste e depois alegre, afinal "eu te amo" não se diz pra qualquer um.
Fiz uma grande reflexão e vi que estou indo por caminhos muito arriscados e que o fim eu já sei. Se a vida é como ensinam em matemática financeira - quanto maior o retorno, maior o risco - o risco não compensa o retorno. Não quero me machucar, nem sofrer. Sei que não sou capaz de mandar em meu coração e tenho medo do que ele me reserva. Muita coisa mudou e nesse momento revivo o passado sabendo que aquela Carla não existe mais, que eu mudei e quero outras coisas. Sei que estou confusa, querendo tomar posse da minha vida e sem saber como. Falta me atitude e não só atitude, mas comprometimento com a decisão que eu tomar.
Que os ventos tragam logo o que é meu.
Oh céus! Oh vida!

Bjoks

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Quase


Ainda pior que a convicção do não, é a incerteza do talvez,é a desilusão de um quase! É o quase que me incomoda,que me entristece, que me mata trazendo tudo que poderia ter sido e não foi. Quem quase ganhou ainda joga, quem quase passou ainda estuda,quem quase amou não amou. Basta pensar nas oportunidades que escaparam pelos dedos, nas chances que se perdem por medo, nas idéias que nunca sairão do papel por essa maldita mania de viver no outono. Pergunto-me, às vezes, o que nos leva a escolher uma vida morna? A resposta eu sei de cor, está estampada na distância e na frieza dos sorrisos, na frouxidão dos abraços, na indiferença dos “bom dia”, quase que sussurrados. Sobra covardia e falta coragem até para ser feliz.A paixão queima, o amor enlouquece,o desejo trai. Talvez esses fossem bons motivos pra decidir entre a alegria e a dor. Mas não são. Se a virtude estivesse mesmo no meio-termo, o mar não teria ondas, os dias seriam nublados e o arco-íris em tons de cinza. O nada não ilumina, não inspira, não aflige nem acalma, apenas amplia o vazio que cada um traz dentro de si. Preferir a derrota prévia à dúvida da vitória é desperdiçar a oportunidade de merecer. Para os erros há perdão, para os fracassos, chance, para os amores impossíveis, tempo. De nada adianta cercar um coração vazio ou economizar alma. Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de tentar. Desconfie do destino e acredite em você. Gaste mais horas realizando que sonhando... Fazendo que planejando... Vivendo que esperando... Porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu.
Luís Fernando Veríssimo

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*
Ando sem criatividade. Nada de muito legal para escrever. Um texto para alguém que assim como eu, precisa tomar coragem para tomar certas atitudes.

Bjoks

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Feliz 2009!!

Tentei nos últimos dias fazer um balanço sobre o ano de 2008, mas não consegui. Passei por fases tranqüilas e outras nem tanto assim.

O ano de 2007 foi um dos mais complicados de minha vida, então quando 2008 chegou, junto veio a esperança que tudo se resolvesse.
Esse novo ano não será fácil, mas terei grandes realizações. Sinto que terei pedras enormes em meu caminho, ainda por conta de 2007, mas essas pedras são as mais importantes no castelo que venho construindo com as pedras que encontro e removo.
Não fiz plano, nem listinhas. Farei o melhor por mim e por minha felicidade.

Meu tema musical para 2009 é este abaixo.

Que Deus abençoe o ano de todos.

Feliz 2009!!!

O Sol Nascerá
Cartola

A sorrir

Eu pretendo levar a vida

Pois chorando

Eu vi a mocidade

Perdida


Fim da tempestade

O sol nascerá

Finda esta saudade

Hei de ter outro alguém para amar


A sorrir

Eu pretendo levar a vida

Pois chorando

Eu vi a mocidade

Perdida


Bjoks


P.S: Estou voltando. Férias!!! ;)