sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Louco Desejo




Os olhares e os sorrisos já denunciavam que existia algo além de amizade, aliás, acredito que tenha sido esse “algo além” que nos aproximou. A timidez sempre presente em ambas às partes talvez tenha alongado o tempo e tenha nos feito resistir ao que era inevitável, o que todos conseguiam ver em nossos olhos, nos desejávamos.
Nossas mãos e olhares sempre se procuravam. Eu tentava evitar, mas sempre o quis. Quando nos cumprimentávamos sentia meu corpo arrepiar todo, um frio na barriga que chegava a me assustar, mas não era paixão era somente carne. Isso me assustava. Em meus sonhos você estava presente, mas eram os sonhos mais obscenos, mas que na verdade me mostravam somente o que eu desejava. Mas sabia, via em seu olhar e sorriso que queria também.
Um abraço seu me desmontava. Era acionado um incêndio dentro de mim. Achava que estava ficando louca, mas a cada dia tinha mais certeza do desejo que eu sentia por você. Cada dia, mês que se passava o incêndio que existia dentro de mim tomava grandes proporções. Não conseguia mais disfarçar. Dançar com você era maravilhoso, mas era um jogo de sedução. Nos insinuávamos, nos esfregávamos e os calafrios e a vontade de que você me dominasse só aumentava, mas a barreira da timidez ainda nos impedia de ousar. Até que uma música mais lenta e nossos rostos se tocando... Você falando sobre qualquer coisa ao meu ouvido, não conseguia me concentrar meu desejo não deixava. Uma brincadeira fez com que nos olhássemos olho no olho e que dessa vez fossemos a diante. Senti meus lábios nos seus. Enfim o beijo, o primeiro de muitos. Saímos de lá com vontade de mais. Fiquei mais assustada, pois sabia que não queria somente beijos e não conseguiria dizer não. Que loucura era essa dentro de mim?
Nosso contato era praticamente diário, mas havia a necessidade de mantermos tudo em segredo. Não podíamos ficar juntos sempre. Nossos olhares e sorrisos continuavam a nos denunciar. Nos arriscávamos. Tentava ser fria e dizia não, mas sempre querendo o contrário. Tentei manter só a amizade, mas às vezes nos rompantes mais loucos quando percebia já estávamos nos beijando, e nossas mãos percorrendo os nossos corpos. Até que um dia resolvi matar minha vontade e ceder ao desejo, por quase um ano depois do beijo tentei manter a distância e dizer não, até por medo de me apaixonar por alguém que sabia que só me desejava.
Mais uma vez em um rompante larguei meu trabalho e fui ao seu encontro mal podíamos esperar por aquele momento. Rendi-me ao meu desejo e foi maravilhoso.
Alguns anos se passaram. Sei que não nos amamos, e sei lá se há paixão (creio que não), mas tenho certeza que há uma atração inexplicável da minha parte. Sempre que digo não, é querendo dizer sim.
O incêndio já não é acionado com tanta facilidade, mas quando acionado continua a queimar da mesma forma. Os rompantes ainda acontecem. Tento sempre resistir, mas meu corpo grita pelo seu.
Os últimos rompantes não foram concluídos como queria.Eu disse não mais uma vez, quando meu corpo, meus gestos diziam sim. Agora esse incêndio insiste em queimar e o meu desejo a aumentar. Já sei onde essa história vai acabar e estou contado os segundos pra isso acontecer... Que desejo louco é esse que não cessa?

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Indignação!! Até quando?!!

Passo por aqui rapidamente para manifestar minha indignação e meu repúdio.
Até quando inocentes morrerão e seus culpados serão absolvidos pela justiça que devia nos proteger?
Estou indignada pela absolvição do cabo Willian de Paula que foi acusado de matar o menino João Roberto de 3 anos na Tijuca, aqui no Rio. Amo a minha cidade e em especial esse bairro. Como pode uma família perder um ente querido pelos simples fato de abrir passagem para que o carro da polícia passe? Além de ter o carro metralhado, de perder um filho havia a esperança que justiça fosse feita. Cara, Renato Russo já perguntava há anos atrás que país é esse. Faço dele minhas palavras, que país é esse? Que cidade é essa? Que justiça é essa?
EU QUERO E PRECISO CRER NA JUSTIÇA DO MEU PAÍS. EU QUERO QUE OS RESPONSÁVEIS SEJAM PUNIDOS. NÃO ACEITO ISSO.
ATÉ QUANDO PRECISAREMOS VER UMA CENA COMO A QUE COLOCO ABAIXO? ATÉ QUANDO SORRISOS COMO ESSE QUE ESTÁ ABAIXO, VÃO “SUMIR” DE FORMA VIOLENTA E COVARDE CAUSADA EM FUNÇÃO DE PROFISSIONAIS DESPREPARADOS?
ATÉ QUANDO?

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Notícias

Olá povo!!!

Estou morrendo de saudades daqui. Estou trabalhando muito, muito mesmo. Minha chefia mudou e o cara delega demais e, além disso, estou cobrindo a licença de uma menina, ou seja, enlouquecendo.
As provas terminaram e estou tentando expulsar um professor da facul. Mó loucura. Sou a pessoa mais pop da facul. Rsrsrs Onde passo as pessoas me apontam e dizem “foi ela, a menina que enviou o e-mail e que está quase expulsando aquele idiota”. Estou adorando! É aquilo, o cara não sabe com quem mexe. Foi vacilar com a pessoa errada. Ou a Universidade quanto instituição toma uma providência ou eu tomo: denuncio ao MP.
Ai fudeu de vez pra ele (desculpe o palavrão, mas é pra deixar claro). Queria contar tudo, mas não dá. AFF!!
E o mundo hein?! Como dá voltas!!! Rsrsrs Coisas do coração. No passado me feriram e agora recorrem a mim para pedir ajuda. Darei de coração aberto, pois como eu sempre digo nossas ações são como bumerangs, que vão e depois voltam em nossa direção.
Meu tio iniciará a quimio. Resolveu aceitar o tratamento e já fala sobre a doença. Está fraquinho e com diversas complicações cardíacas, mas está melhor e eu otimista. Minha família mais unida. Que Deus nos abençoe.
Voltei a ter vida social. Adoro essa época do ano quando começam os ensaios de bloco, pois adoro um samba. Fui ao show da Beth Carvalho na Marina da Glória semana passada TUDO. Só citei isso porque ao sair do show (que conheci gente MUITO interessante) vi um casal transando encostado num carro. SURREAL! O pior é que eu narrava os fatos antes que os mesmos acontecessem. Todo mundo rindo. Cara, mas dava pra deduzir. O mais engraçado foi a gente saindo no carro com um dos meninos gritando carinhosamente um monte de adjetivos pra ela e o outro indignado porque ela não tinha direito de fazer aquilo ali por causa dos pais dela. Pára tudo!! Pensar nos pais nessa hora é uma falta de respeito, já diria minha amiga Mi.
Gente, tenho que ficar por aqui.
Desculpe a ausência.
Voltarei em breve e tentarei comentar porque ler, eu sempre leio.
Bjoks


segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Você atualizado.




Em maio desse ano escrevi um texto (http://smallangelred.blogspot.com/2008/05/voc.html ) dedicado a alguém que foi muito importante em minha vida, um divisor de águas. Naquela época vivia uma situação muito complicada que não cabe muitas explicações. Meses se passaram e tudo já acabou há meses, resolvi finalizar, ou melhor, atualizar o texto.


Texto atualizado:

Você é aquele que fez meu coração querer ter outro coração (o seu).
Você é aquele que me fez arriscar.
Você é aquele com quem mesmo sem que eu percebesse fiz planos.
Você é aquele que sonhei viver um sonho de amor.
Você é aquele que eu confiei, consolei.
Você é aquele que eu pedi que jogasse limpo comigo.
Você é aquele que eu respeitei o tempo que se fazia necessário.
Você foi aquele que eu não pedi exclusividade, pois queria seu coração.
Você é aquele que eu julguei que eu tinha me feita digna de respeito.
Você é aquele que presenciou meu primeiro porre.
Você é aquele que me ligava desesperado no meio do dia porque as coisas não iam bem no trabalho.
Você é aquele que dizia que eu te transmitia paz.
Você é aquele que me levava pra almoçar e fazia meu dia ficar lindo.
Você é aquele que me tirava a paz.
Você é aquele que significava um tormento bom.
Você é aquele que fazia eu chorar noites seguidas por medo de tudo não dar certo.
Você é aquele que dizia sentir uma atração muito forte por mim a ponto de não resistir, o que era recíproco.
Você é aquele que conseguiu fazer meu coração superar minha razão e meu medo.
Você é aquele que eu queria como companhia pra qualquer lugar, qualquer programa.
Você é aquele que quando estava triste me deixava triste a ponto de chorar, por não ter as soluções que precisava.
Você é aquele que quando obteve as vitórias desejadas me deixou tão feliz como se minhas fossem.
Você é aquele que disse o que queria sem saber que um coração apaixonado ouvia e sangrava.
Você é aquele de quem eu pedi pra me afastar, depois de processar tudo o que ouvi e vivi.
Você é aquele que disse que não seria fácil ficar afastado de mim.
Você é aquele que eu tive medo de perder e liguei declarando que sua ausência era insuportável.
Você é aquele que não enxergou nada do que tinha em meu coração.
Você é aquele que eu tentei manter os pés nos chão e não ouvi meu coração.
Você é aquele que eu disse que não queria compromisso, pois sabia que pra você seria superficial.
Você é aquele que eu queria que sentisse minha falta.
Você é aquele que me convenceu a dar ouvidos a minha razão e colocar de lado meu coração.
Você é aquele que destruiu aos poucos tal sentimento.
Você é aquele que me fez derramar lágrimas de saudade.
Você é aquele que deu o golpe final e me decepcionou tanto que nem dor senti.
Você é aquele que no fundo sempre soube que me decepcionaria, mas achei que seria diferente.
Hoje Você é aquele que realmente conseguiu me mostrar que coração é terra que ninguém pisa, mas conseguiu mostrar também que você não nunca soube o que é gostar de verdade.
Hoje você continua me vendo sem máscaras, sem armadura, mas não acredito que eu o veja assim.
Hoje já não sei se consegui mexer com você e muito menos se tive alguma importância.
Hoje eu sei que não tive seu respeito, sua consideração.
Hoje sei que a atração que você sentia por mim sempre foi superior a qualquer coisa que você pudesse sentir, se é que sentiu.
Hoje sei que você não foi tão sincero quanto eu acreditava que você estava sendo.
Hoje sei que realmente jamais confiaria em você.
Hoje tenho certeza que fizemos as escolhas certas quando nos afastamos.
Hoje tenho certeza que não te amei.
Hoje nem sei se realmente te conheci, se você é o que eu pensava ser.
Hoje tenho certeza que paixões se vão da mesma forma repentina que vem.
Hoje torço para que um dia você ame verdadeiramente e aprenda a respeitar quem está ao seu lado.
Hoje torço para que você consiga respeitar sentimentos e cumprir com tratos, principalmente os que são feitos com alguém que joga limpo e quer o mesmo em troca.
Hoje me sinto feliz e grata a Deus por ter escutado minhas preces quando pedia que abrisse meus olhos se você não fosse me fazer feliz e que eu não sofresse.
Hoje não guardo raiva ou mágoa de ti, apenas lembranças de um tempo muito confuso.
Hoje diferente de maio não me sinto angustiada e sei que não aprisionarei meu coração.
Hoje assim como em maio ainda busco minha felicidade, mas sei que você não poderá fazer parte dela e isso é indiferente pra mim.
Hoje me sinto mais feliz, mais mulher, mais madura e te agradeço por isso.
Hoje. Sempre hoje.

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Fases da vida.



Hoje voltei a mais ou menos um anos atrás. Lembrei do que se passava em minha vida e o que buscava. Lembrei-me da virada do ano e de tudo que pedi a Deus naquela praia, nas cores que usei até pra que se de fato influenciar, que eu conseguisse mudar. Usei vermelho e branco para poder expressar melhor minhas emoções, para que pudesse me render às paixões, ser mais impulsiva.
No decorrer desse ano observei minha transformação com a duas pessoas que me relacionei. Realmente meus pedidos foram atendidos e avancei muitos passos nesse quesito. Sempre tive muita dificuldade em expressar o que sentia e por isso “perdi” pessoas muito legais e me relacionei com outras nem tão legais assim. No decorrer desse ano passei por inúmeras fases e estou na mais tranqüila dela, ainda na fase águia, mas me encontrando. Olhei para trás alguns anos e percebi que durante um tempo descobri o amor, o sexo com ele. É maravilhoso. Depois vivi a dor da ausência, o amor não correspondido, foi muito ruim. De repente me descobri mulher, não que não tivesse descoberto antes, mas não era esperta, viva para o mundo. Desconhecia meu poder de sedução. Consegui provar pra mim que sexo e amor são coisas muito distintas e que conseguia separar muito bem as duas. Conheci os relacionamentos sem compromisso, o ser o caso extraconjugal, a ter que fazer tudo escondido. Vivi emoções que desconhecia. Conheci como ninguém o poder da agenda de celular no fim de semana, em poder escolher com quem vou ficar e quem nem quero olhar. Conheci também o ter isso e estar sempre sozinha. O sentimento de ser descartável, o vazio disso tudo. Perdeu a graça. Por isso ano passado na virada namorava uma pessoa, que não me apaixonei, mas que adoro, pois me fez lembrar o quanto ter alguém é bom. Ele cuidava de mim como ninguém, mas era mais carência, amizade do que um relacionamento homem e mulher. Acabou rápido. Logo voltei a me relacionar com o ogro e julgava que nunca me apaixonaria por ele, afinal sabia muito bem que era ele e em quais circunstâncias havíamos nos conhecidos, me enganei, me apaixonei como nunca e me declarei, fui mais eu como nunca. Orgulho-me muito por isso. E não me arrependo. Mesmo que hoje não estejamos juntos.
Após o nosso rompimento nem usei a agenda do celular rssrs. Preferi ficar só. Uma Carla que não conhecia havia surgido e me assustava.
Agora com o fim do ano se aproximando, vejo que preciso provar pra mim no decorrer do próximo, ou próximos anos é que sou um ser que posso amar e ser amada. Que posso despertar no outro um sentimento superior ao de atração física, ou boa companhia. Quero mais. Preciso amar e me sentir amada novamente. Não sou só um pedaço de carne, com bunda grande e seios fartos que desperta o desejo dos homens. Quero despertar sentimento. Cansei do que é superficial. Do que já começa sem ter chances de dar certo, aliás, foi o que ouvi do ogro e tenho que concordar. O que começa errado dificilmente pode dar certo. Por isso daqui pra frente rumo a algo que possa me fazer chegar onde quero. Que venham novas experiências e que se o amor demorar a chegar, que eu possa ter certeza que estou agindo certo e indo pelo caminho correto. Que estou conseguindo mostrar o que se passa dentro de mim.

*************************************************************************************


Ontem quando terminei meu projeto escrevi esse texto e resolvi colocá-lo aqui.


P.S: Meu mengão arrasou ontem contra o Palmeiras. ADOREI!!!


Boa Semana.

Bjoks

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Exigências da vida moderna

Olá povo,

Recebi o texto abaixo e resolvi postar, pois está a minha cara. É longo, mas vale a pena.

Estou sem tempo pra nada. Fim de período e antecipação da semana de provas, ninguém merece. Estou enlouquecida com finalização de projeto, preparação de apresentação, estudo de caso, preparação de simulação de perícia, análise de três legislações distintas, mais as fórmulas de mercado e administração financeiras, vou administrar uma carteira de investimentos como ninguém! Uhuhuh!! E para apimentar ainda tenho prova no inglês e uma prova de concurso que já desisti de estudar, vou jogar com a sorte. Ainda bem que consigo estudar no trabalho.

Devo dar uma sumidinha básica, mas tentarei comentar os blogs que visito.
Bjoks

Haja fôlego !!!!!
Exigências da vida moderna (quem agüenta tudo isso???)
Dizem que todos os dias você deve comer uma maçã por causa do ferro.
E uma banana pelo potássio.
E também uma laranja pela vitamina C.
Uma xícara de chá verde sem açúcar para prevenir a diabetes.
Todos os dias deve-se tomar ao menos dois litros de água. E depois uriná-los, o que consome o dobro do tempo.
Todos os dias deve-se tomar um Yakult pelos lactobacilos (que ninguém sabe bem o que é, mas que aos bilhões, ajudam a digestão).
Cada dia uma Aspirina, previne infarto.
Uma taça de vinho tinto também.
Uma de vinho branco estabiliza o sistema nervoso.
Um copo de cerveja, para... não lembro bem para o que, mas faz bem.
O benefício adicional é que se você tomar tudo isso ao mesmo tempo e tiver um derrame, nem vai perceber...
Todos os dias deve-se comer fibra. Muita, muitíssima fibra. Fibra suficiente para fazer um pulôver.
Você deve fazer entre quatro e seis refeições leves diariamente.
E nunca se esqueça de mastigar pelo menos cem vezes cada garfada.
Só para comer, serão cerca de cinco horas do dia. UFA !!!
E não esqueça de escovar os dentes depois de comer. Ou seja, você tem que escovar os dentes depois da maçã, da banana, da laranja, das seis refeições e enquanto tiver dentes, passar fio dental, massagear a gengiva, escovar a língua e bochechar com Plax. Melhor, inclusive, ampliar o banheiro e aproveitar para colocar um equipamento de som, porque entre a água, a fibra e os dentes, você vai passar ali várias horas por dia. CAGANDO NÉ!!!
Há que se dormir oito horas por noite e trabalhar outras oito por dia, mais as cinco comendo são vinte e uma.
Sobram três, desde que você não pegue trânsito. TÁ DIFICILLLLL
As estatísticas comprovam que assistimos três horas de TV por dia.
Menos você, porque todos os dias você vai caminhar ao menos meia hora (por experiência própria, após quinze minutos dê meia volta e comece a voltar, ou a meia hora vira uma).
E você deve cuidar das amizades, porque são como uma planta: devem ser regadas diariamente, o que me faz pensar em quem vai cuidar das minhas amizades quando eu estiver viajando.
Deve-se estar bem informado também, lendo dois ou três jornais por dia para comparar as informações.
Ah! E o sexo!!!!
Todos os dias, um dia sim, o outro também, tomando o cuidado de não se cair na rotina.
Há que ser criativo, inovador para renovar a sedução.
Dizer EU TE AMO, toda hora, ''ainda pego quem inventou essa neura...que saco!!!''
isso leva tempo e nem estou falando de sexo tântrico.
Também precisa sobrar tempo para varrer, passar, lavar roupa, pratos e espero que você não tenha um bichinho de estimação. Se tiver tem que brincar com ele, pelo menos meia hora todo dia, para ele não ficar deprimido....
Na minha conta são 29 horas por dia.
A única solução que me ocorre é fazer várias dessas coisas ao mesmo tempo! Tomar banho frio com a boca aberta, assim você toma água e escova os dentes ao mesmo tempo.
Chame os amigos e seus pais, seu amor, o sogro, a sogra, os cunhados...
Beba o vinho, coma a maçã e dê a banana na boca da sua mulher.
Não esqueça do EU TE AMO, (Vou achar logo quem inventou isso, me aguarde).
Ainda bem que somos crescidinhos, senão ainda teria um Danoninho e se sobrarem 5 minutos, uma colherada de leite de magnésio.
Agora você tá ferrado mesmo é se tiver criança pequena, ai lascou de vez, porque o tempo que ia sobrar para você...Meu já era. Criança ocupa um tempo danado.
Agora tenho que ir.
É o meio do dia, e depois da cerveja, do vinho e da maçã, tenho que ir ao banheiro e correndo.
E já que vou, levo um jornal... Tchau....
Se sobrar um tempinho, me manda um e-mail.


Luís Fernando Veríssimo

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Como Nossos Pais

Olá Povo,

Fiquei dodói essa semana, mas já estou melhor. Estava desanimada até para comentar, quem dirá postar. O desânimo já se foi, mas não sei o que escrever, então vou postar a letra de uma música que adoro, de uma cantora PERFEITA, a melhor de todos os tempos.
Bom fds.
Bjoks

Como Nossos Pais
Elis Regina
Composição: Belchior


Não quero lhe falar,
Meu grande amor,
Das coisas que aprendi
Nos discos...

Quero lhe contar como eu vivi
E tudo o que aconteceu comigo
Viver é melhor que sonhar
Eu sei que o amor
É uma coisa boa
Mas também sei
Que qualquer canto
É menor do que a vida
De qualquer pessoa...

Por isso cuidado meu bem
Há perigo na esquina
Eles venceram e o sinal
Está fechado prá nós
Que somos jovens...

Para abraçar seu irmão
E beijar sua menina na rua
É que se fez o seu braço,
O seu lábio e a sua voz...

Você me pergunta
Pela minha paixão
Digo que estou encantada
Com uma nova invenção
Eu vou ficar nesta cidade
Não vou voltar pro sertão
Pois vejo vir vindo no vento
Cheiro da nova estação
Eu sei de tudo na ferida viva
Do meu coração...

Já faz tempo
Eu vi você na rua
Cabelo ao vento
Gente jovem reunida
Na parede da memória
Essa lembrança
É o quadro que dói mais...

Minha dor é perceber
Que apesar de termos
Feito tudo o que fizemos
Ainda somos os mesmos
E vivemos
Ainda somos os mesmos
E vivemos
Como os nossos pais...

Nossos ídolos
Ainda são os mesmos
E as aparências
Não enganam não
Você diz que depois deles
Não apareceu mais ninguém
Você pode até dizer
Que eu tô por fora
Ou então
Que eu tô inventando...

Mas é vocêQue ama o passado
E que não vê
É você
Que ama o passado
E que não vê
Que o novo sempre vem...

Hoje eu sei
Que quem me deu a idéia
De uma nova consciência
E juventude
Tá em casa
Guardado por Deus
Contando vil metal...

Minha dor é perceber
Que apesar de termos
Feito tudo, tudo
Tudo o que fizemos
Nós ainda somos
Os mesmos e vivemos
Ainda somos
Os mesmos e vivemos
Ainda somos
Os mesmos e vivemos
Como os nossos pais...

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

O que não é Amor...

Resolvi não falar mais de coisas tristes. Não resolverá meus problemas. Entreguei nas mãos de Deus e creio que ele fará o que for melhor.
Hoje vou postar um texto lindo que recebi tem muitos anos. Na época não acreditava em amor, até que me apaixonei, amei e fui amada. Hoje o enxergo com outros olhos. Aproveitem, pois é belíssimo.
Bjoks

O que não é amor

Já se falou tanto em amor, amizade e paixão...
Que tal falarmos do que não é amor?

Se você precisa de alguém para ser feliz,isso não é amor. É CARÊNCIA.
Se você tem ciúme, insegurança e faz qualquer coisa para conservar alguém ao seu lado, mesmo sabendo que não é amado, e ainda diz que confia nessa pessoa, mas não nos outros, que lhe parecem todos rivais, isso não é amor. É FALTA DE AMOR PRÓPRIO.
Se você acredita que "ruim com ela(e), pior sem ela(e)", e sua vida fica vazia sem essa pessoa, não consegue se imaginar sozinho e mantém um relacionamento que já acabou só porque não tem vida própria - existe em função do outro -isso não é amor. É DEPENDÊNCIA.
Se você acha que o ser amado lhe pertence, sente-se dono(a) e senhor(a) de sua vida e de seu corpo, não lhe dá o direito de se expressar, de ter escolhas, só para afirmar seu domínio, isso não é amor. É EGOÍSMO.
Se você não sente desejo, não se realiza sexualmente, prefere nem ter relações sexuais com essa pessoa, porém sente algum prazer em estar ao lado dela, isso não é amor. É AMIZADE.
Se vocês discutem por qualquer motivo, morrem de ciúmes um do outro e brigam por qualquer coisa, nem sempre fazem os mesmos planos, discordam em diversas situações, não gostam de fazer as mesmas coisas ou ir aos mesmos lugares, mas sexualmente combinam perfeitamente, isso não é amor. É DESEJO.
Se seu coração palpita mais forte, o suor torna-se intenso, sua temperatura sobe e desce vertiginosamente, apenas em pensar na outra pessoa, isso não é amor. É PAIXÃO.
Agora, sabendo o que não é amor, fica mais fácil analisar, verificar o que está acontecendo e procurar resolver a situação. Ou se programar para atrair alguém por quem sinta carinho e desejo e que sinta o mesmo por você, para que possam construir um relacionamento equilibrado no qual haja, aí sim, o verdadeiro e eterno amor.


Meu pai disse-me um dia:
"Filho... você terá três tipos de pessoa na sua vida:
- Um AMIGO, aquela pessoa que você terá sempre em grande estima, que você sabe que poderá contar sempre, que bastará você insinuar que está precisando de ajuda e a ajuda está sendo dada.
- Uma AMANTE, aquela pessoa que faz o seu coração pulsar, que fará com que você flutue e nada importará quando vocês estiverem juntos.
- Uma PAIXÃO,aquela pessoa que você amará, desejará incondicionalmente, às vezes nem lhe importando se ela lhe quer ou não, e talvez ela nem fique sabendo disso.
Mas, se você conseguir reunir essas três pessoas numa só - pode ter certeza meu filho: - Você encontrou a felicidade."


(Augusto Schimanski - 1928/1973)

terça-feira, 28 de outubro de 2008

"Quero uma chance de tentar viver sem dor"

Tudo que venha a escrever será baixo astral. As coisas não melhoraram, infelizmente.
As notícias não são boas. A dor que sinto nesse momento não me permite nem escrever para tentar colocar pra fora tudo que sinto. Quando conseguir, dividirei com vocês, até para tentar entender o que leva alguém a desistir de lutar pela vida.
Vou postar uma música que adoro e que ouvi muitas vezes no fim de semana que passou, afinal quem canta seus males espanta.
Minha semana começou hoje, portanto boa semana a todos.

O Astronauta de Mármore
Nenhum de Nós


A lua inteira agora

É um manto negro
Oh! Oh!
O fim das vozes no meu rádio
Oh! Oh!
São quatro ciclos
No escuro deserto do céu...

Quero um machado
Prá quebrar o gelo
Oh! Oh!
Quero acordar
Do sonho agora mesmo
Oh! Oh!
Quero uma chance
De tentar viver sem dor...

Sempre estar lá
E ver ele voltar
Não era mais o mesmo
Mas estava em seu lugar...

Sempre estar lá
E ver ele voltar
O tolo teme a noite
Como a noite
Vai temer o fogo...

Vou chorar sem medo
Vou lembrar do tempo
De onde eu via o mundo azul...

Hum! Hum! Hum Hum! Hum!...

A trajetóriaEscapa o risco nú
Uh! Uh!
As nuvens queimam o céu
Nariz azul
Uh! Uh!
Desculpe estranho
Eu voltei mais puro do céu...

A lua o lado escuro
É sempre igual
Al! Al!
No espaço a solidão
É tão normal
Al! Al!
Desculpe estranho
Eu voltei mais puro do céu...

Sempre estar lá
E ver ele voltar
Não era mais o mesmo
Mas estava em seu lugar...

Sempre estar lá
E ver ele voltar
O tolo teme a noite
Como a noite
Vai temer o fogo...

Vou chorar sem medo
Vou lembrar do tempo
De onde eu via o mundo azul...

Estar lá!
E ver ele voltar
Não era mais o mesmo
Mas estava em seu lugar
Sei que estar lá
E ver ele voltar
O tolo teme a noite
Como a noite
Vai temer o fogo...

Vou chorar sem medo
Vou lembrar do tempo
De onde eu via o mundo azul...

Larará! Larará!

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Medo



Ontem a noite estava na aula quando recebi um telefonema que acabou com minha paz, minha madrinha me avisou que meu tio está realizando alguns exames e que foi visto um tumor na altura da garganta.
Em meio minuto tudo o que já passamos com minha mãe, o medo, a angústia, a impotência diante de uma doença passou em minha mente, cheguei a sentir calafrios. Fiz-me forte, pois sabia que minha madrinha estava mal, pois ela já enfrentou outros parentes com câncer. Ao desligar o telefone saí da sala e desabei, chorei horrores no banheiro da faculdade. Respirei fundo voltei pra aula. Organizei as idéias e vi que não devia falar com minha mãe ontem, afinal ela está muito abalada em função do assalto sofrido semana passada, as marcas da agressão dos infelizes ainda estão nos braços dela.
Fui dormi e conversei com Deus. Pedi força, coragem e muita saúde para os meus.
Olhei para os últimos cinco anos e vi quantos parentes perdi para o câncer, o último tem um ano. Senti mais medo, lembrei-me também do milagre que Deus realizou em minha família com a recuperação de minha mãe, principalmente depois de tudo que conversei com a ginecologista semana passada, ela mesma afirmou “sua mãe é um caso raro”. Sei que tenho que ser forte pela minha mãe, ela teme essa doença tanto que desde julho precisa fazer a revisão, mas não a fez, pois está com medo dos resultados. E nós com esse fantasma, nos assombrando.
Sei que não devo sofrer antes dos resultados finais, mas sinto um medo. Medo de todo sofrimento que essa doença traz. Sinto-me impotente e essa sensação é horrível esperar a providência divina e crer que tudo vai dar certo é o que me resta, mas é muito difícil. Se tivesse algo que pudesse ser feito, além disso, eu faria, mas não tem. Se eu tivesse que dar minha vida para que essa doença foi banida eu faria, mas infelizmente não posso.
Minha família não é unida, mas na hora da dor estamos sempre juntos, estou muito triste. Amo meu tio e minhas primas, apesar da pouca convivência, quero que tudo fique bem logo.
Peço a Deus que derrame sobre meu tio e minha mãe sua bênçãos e que eles tenham sempre muita saúde.
Peço que, por favor, rezem pelo meu tio e pela minha família.
Obrigada.
Bjoks

P.S: Com a morte de meu pai de criação e dois meses após a descoberta do câncer de minha mãe, aprendi que diante de qualquer problema temos sempre uma solução, logo, não cabe o desespero e sim correr e buscar o que se quer. Porém diante de uma doença muitas vezes somos impotentes. Então não se lamurie por qualquer razão.

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Nostalgia


Esse fim de semana fui à festa de aniversário de um amigão e lá encontrei meu ex-namorado e atual amigo confidente, ele são praticamente irmãos. Ficamos na mesma mesa com outros amigos em comum. Já tinha algum tempo (dois anos mais ou menos) que não aparecia por lá. Todos foram muito carinhosos e receptivos comigo. Cada abraço gostoso.
Foi muito bom ter ido. Ri muito durante toda à noite, relembramos passagens de nossas vidas, zuamos uns aos outros.
Ao terminar a festa não tinha como eu voltar para minha casa e não queria dormir na casa da namorada do aniversariante, então eu e mais uma amiga fomos dormir na casa de meu ex.
Passado tanto tempo após o término do relacionamento entrar naquela casa me trouxe tantas lembranças boas. Algumas coisas mudaram (móveis), mas o cheiro, o silêncio, a paz são as mesmas. Entrar naquele quarto que muitas vezes “foi testemunha” de nosso amor, de nossa raiva, de nossos desentendimentos. Foi nostálgico. É uma casa que de algum jeito já foi minha. A sensação foi um misto de estranheza com uma sensação boa.
Dormimos nós três, bons e velhos amigos nesse quarto. Antes de dormir falamos um pouco de nossas vidas e planos. Foi curioso ver a cara de nossa amiga quando começamos a falar de nossas atuais ou recentes experiências amorosas, um aconselhando o outro.
É bom tê-lo como meu amigo. Saber que um jeito ou de outro aquela família também é minha, que os amigos dele também são amigos meu e que o término do namoro só fez modificar o sentimento de amor que tínhamos. Hoje somos grandes amigos com uma história de amor linda do início ao fim. O primeiro amor da vida de cada um e no meu caso primeiro tudo (amor, namorado, homem).
Torço muito para que ele seja feliz e que seu próximo amor não seja como o anterior que sentia ciúme da minha sombra, me perseguia, me ligava, me seguia, era louca. Só fez acabar com o amor verdadeiro que ele sentia por ela, mas ajudou nossa amizade a se fortalecer.
E espero que o meu próximo amor entenda e respeite nossa amizade.
Vou parar por aqui.

Boa semana a todos.
Bjoks

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Sou de borracha não!

É impressionante como os médicos acham que somos de borracha. Desde semana passada que estou fazendo um check up médico e aconteceu cada coisa que preciso dividir com o povo.
Primeira da lista ortopedista. Expliquei que sentia umas dores nos joelhos, que depois que voltei para academia pioraram muito, mas NÃO tinha um movimento específico que fizesse com que eles doessem, mas que era uma dor infernal... blá blá blá. Então deitei na cama para que fosse enfim examinada. A médica pediu três vezes que eu relaxasse a perna que já estava relaxada. Aff! Dobra pra cá, lá, mexe de um lado para o outro e sempre a pergunta no fim de cada movimento: DÓI?
E eu respondia não. Acho que a mulher ficou pau da vida... rsrsrs Pegou um ponto no joelho apertou e pediu que eu contraísse a coxa e eu rapidamente o fiz. E ela com ar de superioridade, me olha e diz que eu estava contraindo o músculo errado. Avisa pra ela que estava doendo pra cacete!! Descoberto o possível problema vou eu comentar que desde que lesionei o braço em abril, sinto uma dor no punho ao FAZER O MOVIMENTO X, começou ela a mexer e ao fim de cada movimento a pergunta: Dói? Até que a filha da mãe resolveu fazer o MOVIMENTO X, deu nem tempo dela perguntar dei um berro: Aiiii dói, dói mt. Terminada a visita com os exames e os possíveis problemas a serem investigados, saiu eu que entrei sem dor alguma com os dois joelhos ferrados e com o punho doendo absurdamente e putérrima.
Segunda da lista “alergista”. Consulta normal. Fui fazer aquele teste para saber exatamente a que eu tenho alergia. Caraca meu braço ardeu, coçou, mas logo depois sumiu. Não teria jeito mais fácil?
A terceira da lista Ginecologista. Nunca tive problemas com ginecologista, pode ser homem, mulher não sinto vergonha, médico é um ser assexuado. Como foi minha primeira consulta com a médica teve aquelas perguntas de praxe. Tudo normal. Tira a roupa toda, coloca “o roupão” virado pra frente blá blá blá. Tudo ótimo até a palavra que eu sinto verdadeiro horror de ouvir quando vou fazer esse bendito exame: Minha filha RELAXA! PQP!! Alguém conta pra ela que tem uma pessoa desconhecida, de um sexo que não me atrai, colocando um objeto, quando não é o dedo dentro de mim. Ainda quer que eu relaxe. Ninguém merece.
Por enquanto tudo em ordem. Aguardando para terminar de fazer os exames. O pior que sei que terei alguns que são chatos para fazer, mas se quero permanecer com saúde prevenção é o melhor.


****************************************************************
Gente, fui seqüestrada terça-feira para o show do MONOBLOCO. Foi TUDO DE BOM!! Dancei a noite toda. Eles são PHODA!! Há muito tempo, uns cinco anos pelo menos, que não pisava no Olimpo na Vila da Penha. Está bonito depois da obra. Fui de camarote (tudo liberado rsrs) não sei como está a pista, mas ficou legal. Valeu a pena dormir apenas duas horas naquela noite. Vou colocar a fotinha (de sites) com meus amigos do peito (Léo, Carol e Mi), estamos meio doidinhos, mas amei!
Bom fds!!
Bjoks

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

É o Que Me Interessa...

Hoje quando acordei nem acreditei quando vi esse sol lindo batendo em minha janela. Acordei tão animada, de bem com a vida. Acredito que tenha sido bom minha ida à igreja ontem, conversar com Deus é bom né?! Ainda mais no dia no dia de sua mãezinha!!
Vim toda arrumadinha para o trabalho. Para saudar a vida.

É isso estou de bem com a vida é querendo fazer o que diz o título da música do Lenine “É o Que Me Interessa”. O que não me interessar não rola.
Vou colocar a letra da música aqui. Adoro o Lenine, suas músicas são fortes e sua voz me transmite paz.
Boa semana a todos.


É o Que Me Interessa
Lenine
Composição: Indisponível


Daqui desse momento
Do meu olhar pra fora
O mundo é só miragem
A sombra do futuro
A sobra do passado
Assombram a paisagem
Quem vai virar o jogo e transformar a perda
Em nossa recompensa
Quando eu olhar pro lado
Eu quero estar cercado só de quem me interessa

Às vezes é um instante
A tarde faz silêncio
O vento sopra a meu favor
Às vezes eu pressinto e é como uma saudade
De um tempo que ainda não passou
Me trás o teu sucesso
Atrasa o meu relógio
Acalma a minha pressa
Me dá sua palavra
Sussurre em meu ouvido
Só o que me interessa

A lógica do vento
O caos do pensamento
A paz na solidão
A órbita do tempo
A pausa do retrato
A voz da intuição
A curva do universo
A fórmula do acaso
O alcance da promessa
O salto do desejo
O agora e o infinito
Só o que me interessa

Bjoks

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Carente


A pessoa aqui está muito carente, querendo um afago, um colo e o pior é que não é TPM é carência mesmo.
Ontem quando saí da faculdade vi um casal se abraçando, uma cena tão bonita e fiquei carente. Estou sozinha desde agosto, antes tinha esperança de ter me acertado com o meu ogrinho, mas como não foi pra frente, já curti a dor de cotovelo e agora tenho que viver algo novo.
Decidi que tem que ser novo mesmo. Dispensei todos aqueles que ficam eternamente na fila sabe. Conheci todos em uma época diferente, agora que a águia aqui está se renovando não quero nada que me faça uma retrospectiva, a não ser que tudo esteja mudado. Não quero nada que tenha começado errado.
Quero alguém que me faça sentir aquele frio na barriga, que o coração dispare, que me faça rir horrores, que aconteça de forma serena, tranquila. Quero me apaixonar. Quero mesmo, mas tem que ser por alguém que faça tudo valer a pena. Qualquer programa, qualquer lugar, que tudo faça sentido.
Meu coração ainda está meio machucadinho, mas já decidiu viver novas experiências, pois se não der certo é que não era pra ser.
Ninguém merece sexta-feira me sentir assim, ainda mais que o único programa que tenho para fazer não estou afim.
Abaixo a música que não saiu da minha cabeça hoje. Música que pra mim é linda e tem cara de Urca com dia ensolarado, comendo pastel de camarão.
Bom fds.

Bjoks


Futuros Amantes
Composição: Chico Buarque

Não se afobe, não
Que nada é pra já
O amor não tem pressa
Ele pode esperar em silêncio
Num fundo de armário
Na posta-restante
Milênios, milênios
No ar

E quem sabe, então
O Rio será
Alguma cidade submersa
Os escafandristas virão
Explorar sua casa
Seu quarto, suas coisas
Sua alma, desvãos

Sábios em vão
Tentarão decifrar
O eco de antigas palavras
Fragmentos de cartas, poemas
Mentiras, retratos
Vestígios de estranha civilização

Não se afobe, não
Que nada é pra já
Amores serão sempre amáveis
Futuros amantes, quiçá
Se amarão sem saber
Com o amor que eu um dia
Deixei pra você

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Notícias e susto

Olá povo,

Semana está corrida, as notas estão saindo, mas tive um desempenho mediano, pra não dizer que foi uma merda, mas consigo melhorar, pelo menos consegui ter vida social esse fim de semana.
Sexta-feira, depois do susto (abaixo conto), encontrei amigos na porta da faculdade ficamos lá na tia mesmo, geral sem grana, mas deu pra eu me divertir bastante, fiquei até rouca. Minha frase atualmente é: Queria ser pobre um dia porque todo dia está sinistro! Rsrs
Sabadão fui para o buteco, ri horrores, tomei caipirinha (não gosto de cerveja), cantei, foi ótimo. Não dormi em casa fui pra casa de amigos, sabe como é, conversa vai conversa vem, e fui dormir às 5hs da matina levantei às 9hs para cumprir com o meu dever cívico do voto, nenhum dos meus candidatos se elegeu, mas votei naquilo que acredito.
Não descansei nadinha no domingo. Estou com o sono atrasado. Ontem como não tive aula somente correção de prova fui pro Faenza com uma amiga jantar. Saí de copa quase 23hs, cheguei em casa tarde e hoje estou no trabalho caindo de sono. Morar longe dos lugares que se freqüenta é ruim, quando morava mais perto era bem melhor. Se bem que isso não é regra pra mim, pois adoro ir pro Pega-Pega no Valqueire, para o Buteco do Dudu na Vila da Penha, para Lapa, para as boates do centro (em dias úteis, boates no fim de semana é cheio de pirralho), para o Rei do Bacalhau, para o downtown, preciso de um carro isso sim, mas decidi comprá-lo só depois que concluir a facul.
Hoje pretendo chegar em casa cedo para dormir logo, pois tenho médico amanhã e depois.

O susto:
Sexta tomei um susto gigantesco, pois tenho horror a lagartixa, entro em desespero de quase desmaiar. Sei que é um bichinho inofensivo, mas tenho medo pra mim é como um dinossauro. Odeio qualquer tipo de anfíbio ou réptil, tenho horror. Como já contei trabalho no Jardim Botânico, na hora do almoço na sexta fui passear pelo parque. Estava eu, toda serelepe, pimpona em frente à casa dos pilões, vindo para presidência, onde trabalho, eis que cruza meu caminho um lagarto. Puta que O pariu! Entrei em parafuso. Queria correr, mas não sabia pra onde. Estava quase chorando, quando surgiu um carrinho que leva os visitantes e todos, claro, riram da minha cara. E o lagarto muito mais serelepe que eu continuava seu trajeto rumo à grama para pegar sol. Esperei o carrinho passar e num súbito ato de coragem atravessei vendo aquele animal esticado se bronzeando na grama. Que medo!

Pronto! Já dei notícias.

Bjoks

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Águia

Querendo escrever, mas nem sei exatamente o que dizer. Estou meio parecida com o post do Bruno, o Exagerado, querendo dizer um monte de coisas, mas que ficariam sem sentido. Ando tão chata... Estou numa fase meio que “me reinventando”, isso é muito difícil. Meu coração e minha mente encontram-se em conflito e às vezes uma paz fora do comum.
Ai queria ser criança é mais fácil e ainda ia ganhar presente dia 12... aff!
A Flávia do cada um no seu quadrado é minha amiga “além blog” e sabe um pouco do que está rolando, dos meus conflitos e me mandou um texto que resolvi postar. Acho que estou igual a essa águia, me transformando para uma nova vida, para novas experiências.




“A águia é a única ave que chega a viver 70 anos. Mas para isso acontecer, por volta dos 40, ela precisa tomar uma séria e difícil decisão.

Nessa idade, suas unhas estão compridas e flexíveis. Não conseguem mais agarrar as presas das quais se alimenta. Seu bico, alongado e pontiagudo, curva-se. As asas, envelhecidas e pesadas em função da espessura das penas, apontam contra o peito. Voar já é difícil.

Nesse momento crucial de sua vida a águia tem duas alternativas: não fazer nada e morrer, ou enfrentar um dolorido processo de renovação que se estenderá por 150 dias.

A nossa águia decidiu enfrentar o desafio. Ela voa para o alto de uma montanha e recolhe-se em um nin
ho próximo a um paredão, onde não precisará voar. Aí, ela começa a bater com o bico na rocha até conseguir arrancá-lo. Depois, a águia espera nascer um novo bico, com o qual vai arrancar as velhas unhas. Quando as novas unhas começarem a nascer, ela passa a arrancar as velhas penas. Só após cinco meses ela pode sair para o vôo de renovação e viver mais 30 anos.”

Autoria: Affonso Sant`Anna.




**********************************************************************

Ps: Ainda sem todos os resultados das provas. Obrigada pelo incentivo de todos.

Bjoks

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Que papelão!

Olá povo,

estou tentando estudar. Minhas primeiras provas não foram lá essas coisas e estudei pra caramba, normalmente não estudo vou às aulas e me dedico e me dou bem, CR em 7 quase 8.
Fim de semana de chuva, em casa só comendo e dormindo (engordando). Assistindo fantástico e ficando putérrima (foi mal pelo palavrão, mas essa é a palavra) com aquela nobre senhora corna, chifruda, que processou a amante do ex. Achei aquilo o fim. Como pode a amante ser culpada, se quem assumiu compromisso foi o marido?! Em minha cabeça não faz sentido, por mais que a vida dela ficasse exposta e ela fosse humilhada. Que chifrasse o cara também, cortasse o pinto dele (isso mesmo meninos).
Que papelão dessa amante ficar ligando para casa da matriz só pra dizer que o cara tinha uma filial. Pelo que entendi nenhuma das duas terminou com o cara. Pra que isso tudo?
Certa é a minha mãe que diz que amante é artigo de luxo, ou seja, para ser amante ganhe algo de melhor em troca nem que seja material. Contava ela, que quando foi transferida para Brasília uma amiga que foi também conheceu um cara e que se colocou no papel de amante, mas como tinha que se privar da presença do cara em certos momentos, a maioria, pedia uns “mimos” de presente, conclusão comprou e montou um belo patrimônio.
Eu não me coloco nesse papel. Não sou santa, nem interesseira, mas se é para ser amante eu concordo com minha mãe em gênero, número e grau.
Vou parar por aqui. Estou cheia de trabalho e tendo que terminar a 2º fase do projeto.
Boa semana.
Bjoks

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Desabafo... "Não basta o compromisso vale mais o coração".

Acredito que sou um ser meio diferente da maioria no aspecto amoroso. Respeito muito o espaço da pessoa que está comigo, acredito que sempre temos que nos colocar em nossos devidos lugares. Normalmente agimos com os outros da maneira que gostaríamos que agissem conosco. Respeitar meu espaço, minha liberdade, meu jeito de ser é fundamental.

Não acredito que ninguém mude pelo outro, toda mudança feita pelo outro é temporária. Não quero alguém “manipulado” ao meu lado, quero um ser que tenha personalidade, identidade. Se algo não me agrada é claro que vou expor, mas não exijo mudanças e detesto a falsa promessa: “Pode deixar que vou mudar por você”. Não me responsabilize por algo que “você” quer fazer, faça-o somente se julgar necessário. Essa é sempre minha resposta.

Acho que assusto com esse meu jeito, minha personalidade é forte. Sou muito crítica, sei o quanto isso já me beneficiou, mas sei o quanto já me atrapalhou. Não saio por aí jurando amor eterno, nem “pagando paixãozinha barata”, sendo melancólica e fazendo esse dramas de mulher. Adoro gente objetiva, realista.

Sou adepta a frase da música do Renato Russo: “ Não basta o compromisso, vale mais o coração”, não quero relacionamento, quero sentimento, afinal pra mim é ele que motiva tudo. Não existe um simples namoro se eu não gostar o mínimo da pessoa.
Só tive um namoro sério e longo (1 ano e três meses – oficial – teve o antes, o durante e o depois). Aprendi o que é o amor da melhor forma possível, acabou no auge. Sofri demais, fui ao fundo do poço e agradeço hoje pela franqueza, pela forma que foi.
Não gosto de gente metida à puritana, que não fala sacanagem, que não fala palavrão e fica fazendo cara de bunda quando me vê fazendo isso. Cacete essa sou eu!!
Não gosto da minha vida exposta. Não gosto que os meus sentimentos sejam banalizados e não sejam respeitados.

Não suporto aquelas fotos com declarações de amor, bem típicas de orkut. Quer coisa mais superficial?! Minha vida não é novela.
Sou um ser humano e tenho minhas fraquezas, esse meu jeito liberal de fazer o que quero, falar o que penso e respeitar o próximo faz com que as pessoas pensem que eu não tenho sentimento, que não me envolvo, que sempre mantenho razão e emoção sobre controle. Como diz meu ex sou a maior propaganda enganosa.
Eu sou chorona também. Choro vendo comercial de margarina. As menores e mais simples demonstrações de afeto me encantam. Iludo-me e vejo que apesar da mulher do século 21 continuo levando o sonho romântico de qualquer mulher, percebi isso quando me vi assistindo uma linda mulher pela milésima vez, chorando, pois acho linda aquela história, e me perguntando lá no fundinho, será que encontrarei um amor assim?
Essa última dor de cotovelo me fez refletir tanta coisa. Tudo que escrevi é um desabafo. Estou decepcionada, mas faz parte da vida é crescimento, experiência.
Quero saber até que ponto ajo da maneira correta, quando comecei escrever esse texto achava que tinha uma opinião e nesse meio tempo meu ex que citei lá em cima me telefonou, pois está aqui próximo ao trabalho. Somos amigos confidentes. Ele pediu que eu abrisse o e-mail dele e imprimisse um documento, descobri que ainda tenho a senha dele. Cara fiquei radiante por saber o quanto ele confia em mim e o quanto eu respeito realmente o espaço alheio. Acho que não sou "tão errada assim". Os anjos conspiraram ao meu favor. rsrs
Isso foi um desabafo. Vou parar por aqui. Estou até mais leve. rsrsrs
Bjoks
**************************************************************************************

Gente!!

Ganhei um selinho lindo da Cintia do Seja Divina http://sejadivina.wordpress.com/.
Os repasso para:
Bjoks


sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Finde

Não estou muito inspirada hoje.
Semana chegando ao fim, ainda bem ou não... Semana que vem começa a semana de provas e as minhas piores são no 1º dia, 5º feira, mercado financeiro seguida por administração financeira. Não agüento mais estudar o comportamento da bolsa, VPL, TMA, Risco e retorno, Desvio Padrão (de novo, pois já estudei em estatística)... AAAAAAAHHHHH! Socorro! Fim de faculdade, ando no limite. Apesar disso gosto muito. Amanhã, sábado ainda tenho o inglês. Consegui voltar!!! Terceira aula estou gostando muito.
Hoje preciso de um buteco pra jogar conversa fora e ri horrores. Aliviar as tensões da semana. Amo buteco sexta feira é o melhor programa a ser feito.
Vou postar a fotinha de uma orquídea, pois comprei uma para mamy hoje aqui no OrquidaRio (exposição de orquídeas) que está rolando aqui no trabalho.
Na ausência de criatividade, vou colocar a letra de uma música que tenho escutado direto nas rádios que ouço e acho tão bonitinha, animada, cara de sexta-feira. O clip do YouTube (
http://www.youtube.com/watch?v=yaN-sC4xBRM) a menina até parece comigo. Tem cabelos vermelhos.

Bom finde a todos.
Bjoks


Passos pela rua
Composição: Marcello Mira



Enfeitou a casa
Mas não acreditava
Que o amor ainda pudesse chegar
Pela madrugada
Linda ao pé da escada
Esperou sentada pra não se cansar

Passos pela rua, lá vem o amor
Vem cambaleando entra pra um café
Sem carro do ano
Sem anel dourado
Na mão uma rosa
Sapato furado

Passos pela rua, lá vem o amor
Vem sorrindo alto, lá vem o amor
Hoje ela já sabe que o amor é raro
Hoje ela passeia com o amor ao lado

Se liga que lá vem o amor
Abre as portas que o amor chegou
Deixe-se levar enquanto ainda é tempo
Deixe-se levar pra sempre

Passos pela rua, lá vem o amor
Vem cambaleando entra pra um café
Sem carro do ano
Sem anel dourado
Na mão uma rosa
Sapato furado

Passos pela rua, lá vem o amor
Vem sorrindo alto, lá vem o amor
Hoje ela já sabe que o amor é raro
Hoje ela se deita com o amor ao lado

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Cafonice

Esse fim de semana que passou foi meio borocoxo pra mim. Meu organismo deu pane, mas já estou melhor. Aí nessa de ficar em casa sozinha e largada num canto, fiquei curtindo minha dor de cotovelo. Foi bom porque me dei conta de que isso é bobagem e que tenho que curtir minha vida. Ser livre, solteira e feliz sempre, mas até chegar a essa conclusão fiquei fazendo aquelas idiotices de ouvir muita música de corno, chorar bastante e tal (desintoxicação) e me dei conta que quando qualquer ser fica apaixonado fica brega e cafona.
“Mas por que Carla?” Qualquer ser apaixonado vê tudo mais bonito, mais colorido e perde o senso... rsrsrs.
Sou eclética pra música ouço QUASE tudo, mas não suporto, não tolero isso que chamam de forró que é tipo calipso e música sertaneja me deixa entediada rapidinho (entendam fui criada no interior).
Cheguei a essa conclusão sobre paixões e cafonice com minha pequena grande amiga Michelle que está apaixonada. Sempre que vou a casa dela (freqüentemente) ouço a irmã dela, que canta pacas, ouvindo músicas e entre elas uma que foi gravada pela primeira vez com Chitãozinho e Xororó chamada Evidências (ela ouve na voz do Daniel) é a cara da Michelle e do lerdinho dela. Chorei de rir quando cheguei a essa conclusão, e o pior é que ela concorda comigo.
Não bastando isso que já é uma prova bem “palpável” outro dia no meu horário de almoço, estava eu passeando nesse parque horrível que eu trabalho rsrss, Jardim Botânico e com meu fone ouvindo rádio, mudava de rádio e só comercial. Onde estava tocando música parei e comecei a prestar atenção na letra, que era esses pagodes “mela cueca” como diz meu ex. Era uma música que se chama Em Suas Mãos do Sorriso Maroto. Cara eu quase chorei. Era minha história narrada. Gostei né?!
Até curto um pagodinho, um sambinha, mas hoje em dia é muito sofrimento nessas músicas amor sempre rima com dor, nem precisa ouvir que você já consegue cantarolar o refrão. Quase não ouço esse tipo de música e quando ouço uma música sofrida daquelas eu gosto. Gente que cafonice!!! Eu já fui melhor. Antes meus romances eram narrados pelos Tribalistas, Capital Inicial, Titãs, Pink Floyd, Guns... Pára que dois dos que vivi começaram graças ao Cazuza e agora narrado por Sorriso Maroto?! Nada contra, eles tem talento, mas putz!
Ainda bem que isso está chegando ao fim. Qualquer mudança vem de dentro e o fim foi decretado. Oba!!!

Bjoks.

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Pessoa curiosa...

Gente semana passada lendo o blog do Ancelmo Góes do Jornal O Globo, ele postou a seguinte figura:
Gente!!! Sou um ser curioso. Preciso saber o que é sabonetinho e chave. Isso virou tema de discussão em minha faculdade, no trabalho, no MSN. É praticamente um mistério.
Quem souber, por favor, me conta. Kkkkkkkkkkkk

Presentinhos:
Recebi da Flávia e da Natyx o seguinte selinho:

Recebi da Natyx mais 4 selinhos e anda fui incluída na lista “TOP TEN” dela. Fiquei muito feliz. Obrigada.







Bom, os repasso para:
Cin a grávida do ano:
http://blogsegredosdeliquidificador.blogspot.com/
Carolzita: http://gotasdiariasdesentimento.blogspot.com/
Fernanda: http://eusempresobrevivo.blogspot.com/
A Flávia foi presenteada pela Natyx, mas merece meu presentinho.
Leio esses blogs todos os dias. ADORO!!!

Bjoks

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Cleyde Prado



Sei que meu blog mais está parecendo um obituário, mas não posso deixar passar em branco a morte dessa mulher que não tenho palavras para defini-la.
Cleyde Prado transformou seu luto em luta. Lutou e muito para fazer, principalmente, do Rio de Janeiro uma cidade melhor. Onde havia uma vítima de bala perdida, uma manifestação, lá estava ela.
Perdeu de forma violenta e covarde sua filha Gabriela Prado em um assalto na estação o metro e a partir de então se transformou numa guerreira que clamou por justiça enquanto vida ela teve.
Ao saber de sua morte me senti meio “órfã”. E agora quem estará à frente dessa luta? Essa luta que é minha também. Quero paz!!!
Que a luta dela não seja em vão. Que Deus conforte toda sua família e que o Santiago seu marido não desista dessa luta.
Cleyde, vá em paz. Encontre sua filha no Céu e seja recebida por Deus de braços abertos.
Que o povo carioca (me inclua nesse grupo) se inspire nessa mulher para clamar por um Rio de paz, onde as pessoas não se tornem vitima da violência a toda hora.

Bjoks a tds.

terça-feira, 2 de setembro de 2008

A nova Carla ;)

Quero escrever sobre algo alegre. Minha vida está indo tão bem mesmo com os medos, angústias e outra morte dessa vez estúpida em um acidente de moto. Que Serginho descanse em paz. Na lembrança de todos sempre estará aquele cara alegre e alto astral que viveu pouco, mas soube viver. Dessa vez não tive força para ir ao sepultamento e nem dispensa do trabalho, afinal terceira morte em um mês.
Mas como disse antes não quero falar de nada triste, por mais que o poeta diga que tristeza não tem fim felicidade sim, tudo depende do ponto de vista né?!
Acho que felicidade é estado de espírito, principalmente para as mulheres que sofrem com TPM. Problemas todos têm, mas temos que procurar uma saída.
Como já disse antes sou católica, mas com a mente aberta, nada de fanatismo nem ignorância de passar por cima de todos os absurdos que igreja fez e faz, afinal ela é comandada por homens passíveis de erros.
Então, minha amiguinha Flávia me emprestou um livro da Zibia Gasparetto, sempre leio mesmo não acreditando em muita coisa ou tendo uma visão diferente dos espíritas, mas normalmente vejo que mudanças de posturas fazem com que muita coisa ao nosso redor se modifique. Ano passado sofri uma decepção muito grande. Uma amiga da família furtou meu talão de cheques em minha casa, isso me trouxe e me trás inúmeros problemas. Do ano passado até os dias atuais, me decepcionei muito com as pessoas, mas tive provas maravilhosas de quanto às pessoas gostam de mim. Passei por uma fase revoltada, desacreditada, infeliz mesmo. Errei muito, acertei bastante também. Fechei-me para os relacionamentos, me machuquei, me feri. Vesti uma armadura, achando que assim estaria protegida, pura ilusão. Revivia tudo o que passei em função do furto e da decepção de ter alguém, que eu considerava como madrinha, ter feito algo que tanto problemas me causou. No início do ano li um livro chamado “Buscai as coisas que vem do alto” do Padre Léo. Chorei muito lendo aquele livro, foi o início da minha melhora. Esse livro me mostrou que não procurava o que vinha do alto, que precisava da tempestade em minha vida. Acalmei-me. Mudei muito em outros aspectos. Resolvi expressar o que sentia fosse bom ou ruim, colocar pra fora o que se passava em meu coração e não só em minha mente. Foi praticamente uma metamorfose. Difícil, mas estou aprendendo.
Algumas pessoas surgiram em minha vida para que tais mudanças acontecessem, ELE sabe de tudo e providenciou.
E devagar fui conseguindo reencontrar a paz, que virava e mexia era abalada bruscamente, afinal um processo criminal e um civil, muita dor de cabeça pela frente ainda.
Até que Flávia me emprestou esse livro “Ninguém é de ninguém” fala sobre relacionamento conjugal, mas analisando certas atitudes de um personagem vi que fazia aquilo constantemente com relação ao meu problema com furto dos cheques. Um amigo sempre me dizia pra mudar de atitude e não entendia. Ao ler o livro entendi. Mudei a postura e agradeci a Deus por isso. Sinto mais paz dentro de mim, mais tranqüilidade, mais harmonia. Meu relacionamento com minha mãe estava muito abalado e melhorou. Resolvi deixar nas mãos de Deus.
Escrevi tudo isso para mostrar que mudanças de atitudes muitas vezes é doloroso, porém com o passar do tempo chega-se a conclusão de que é benéfica e nos devolve a paz de espírito.
Que eu tenha sempre discernimento para saber o quanto minhas atitudes erradas me prejudicam e coragem para mudá-las.


Bjoks



quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Coragem

Não sabia exatamente o que escrever. Até ontem falaria da minha viagem a Paraty, mas ontem aconteceu algo muito chato que me fez refletir outras tantas.
O pai de um amigo meu faleceu ontem. Estive com o ele na terça a noite no buteco na saída da facul, estava tudo bem, mesmo o pai dele estando internado. Ontem pela amanhã recebi a notícia, como o enterro seria em Botafogo próximo ao meu trabalho, resolvi dar uma passada rápida por lá para dar uma força. Nunca gostei dessas cerimônias, raramente vou, costumo brincar que só irei ao meu enterro. Ao chegar lá e ficar diante da fragilidade do meu amigo, um homem de 34 anos que estava dopado e aos prantos decidi ficar e acompanhar toda a cerimônia de “encomenda” do corpo e sepultamento. Analisei tudo que vi e tudo que creio.
Não tenho medo de cemitério, se tiver que ter medo tenho de hospitais um lugar onde vida e morte estão sempre lado a lado, apenas uma linha muito tênue as separam, qualquer vacilo bye bye. Não creio em almas penadas, mais uma razão para não ter medo de cemitério, no entanto descobri que sempre quis me proteger de ter que estar cara a cara com o sofrimento, com a dor da perda, com o sentimento de que nem tudo está sob controle e com o desconhecido do que será depois da morte, para os que ficam e para os que vão. Como uma boa católica que conhece muitas religiões, pois antes de poder gritar ao mundo a minha fé e alegria por ser católica, procurei conhecer e estudar outros caminhos. Respeito QUALQUER ceita, religião, pois sei que o que transforma qualquer um e qualquer coisa é a fé. Em função da minha crença, creio que ele já esteja no lugar que mereça. E assim todos que já foram para a vida eterna.
De cara com a dor, de cara com a morte pensei em tanta gente que convive comigo, que não gostaria de me afastar, que não gostaria que a morte tirasse de mim. Pensei em tantas coisas que damos valor e no final estamos todos, literalmente, no buraco, ao lado sei lá de quem.
Pensei nos fantasmas e medos que criamos. No tal perfil que assumimos para o mundo. Vi o amigo que me acompanhava dar mais ouvidos e importância ao machismo do que estar a lado do amigo agora “órfão” mesmo que chorando. Homem chora sim. Percebi que ter pessoas que gostam da gente ao nosso redor no momento de dor é muito importante, vi isso nos olhos de meu amigo quando lá cheguei.
Dessa vez nem passei mal. Sinto-me orgulhosa por ter passado por cima desse medo de encarar a realidade nua e crua que é a morte. Sinto-me triste por saber que outras pessoas sofrem a dor da partida de um ente querido.
Quero muito que Deus me dê sabedoria para encarar essas perdas como algo natural, pois conviverei com ela enquanto vida eu estiver, ou seja, enquanto a morte não me encontrar.
***********************************************************************************
Mudando radicalmente de assunto fui à Paraty no último fim de semana. Foi ótimo. Fiz um picasa para colocar as fotos olha o link aí:
http://picasaweb.google.com.br/carlabeatriz84

Bjoks

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Por Enquanto

Por Enquanto
Composição: Renato Russo


Mudaram as estações
Nada mudou
Mas eu sei que
Alguma coisa aconteceu
Está tudo assim
Tão diferente...

Se lembra quando a gente
Chegou um dia a acreditar
Que tudo era pra sempre
Sem saber
Que o pra sempre
Sempre acaba...

Mas nada vai
Conseguir mudar
O que ficou
Quando penso em alguém
Só penso em você
E aí, então, estamos bem...

Mesmo com tantos motivos
Pra deixar tudo como está
Nem desistir, nem tentar
Agora tanto fazEstamos indo
De volta pra casa...(2x)

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Notícias da vida..



Minha vida está um furacão. Um monte de coisas aconteceu. Volta às aulas em julho ainda, ninguém merece, né? Não tenho que apresentar monografia, mas pra compensar tenho que fazer quatro períodos com laboratório. Estou no lab. III, que está de arrancar os cabelos, mas sei que vou aprender muito. Preciso de outro laboratório com NF 10, para eu ter certeza que serei uma contadora PHODA, com PH. Rsrsrsrs
Não consegui me matricular no inglês. Preciso voltar, estou analfabeta de novo.
Saí da academia. Meu punho ainda está lesionado. Preciso voltar ao ortopedista. Adquiri uns quilinhos. Estou de mal com o espelho.
Cuidei do meu coração. Abri mão do meu orgulho procurei quem me faz bem (meu ogro). Fizemos “as pazes”, mas acho quem em meu peito tudo mudou. Mesmo que eu chegue à conclusão de que acabou de vez, fiz minha parte e estou satisfeita. A pessoa aqui conseguiu mudar e muito.
Minha mãe ainda não fez nenhum exame. Está com medo do que possa ser diagnosticado. Estou aflita e preocupada com essa situação. Espero que Deus me ampare e ajude.
No último fim de semana saí com meu ogro. Foi uma noite ótima. Não tenho hábito de beber e fui me meter a besta a fazer isso. Sempre quis tomar um porre pra saber como é, sei que é coisa de imbecil, mas putz sou normal. Nunca experimentei nenhum tipo de droga ilícita, nunca tive curiosidade, mas tomar um porre isso eu queria e consegui. Cara, fiquei péssima. É muito ruim. Foi a terceira tentativa de ficar bêbada. A primeira fiquei muito alegre, foi na virada do ano. Nossa ria de tudo. A segunda foi com meu ogro também, me senti mal, mas passou rapidinho e dessa vez foi caótico, mal conseguia ficar de pé. Se deitava parecia que estava caindo, se fechava os olhos tudo rodava. Fui abrir a carteira e não consegui nem focar. Um mal estar terrível. Nunca mais quero porre. Não vale a pena. Eu sóbria sou muito mais legal, acho que ele também concorda.
Pra finalizar agradecer novamente os selinhos lindos que a Natyx me deu que já estão no seu devido lugar e vou presentear alguns blogs que gosto muito:








Bom a Natyx merece indicação para todos.
Indico para receber os três selinhos:
Flavinha:
http://www.flavyatam.blogspot.com/
Carolzita: http://gotasdiariasdesentimento.blogspot.com/
Cin: http://blogsegredosdeliquidificador.blogspot.com/
MH:
http://diariodemh.blogspot.com/


P.S: Não poderia encerrar sem antes contar a cena bizarra do dia. Vinha eu para meu trabalho, quando o busão passou por um posto de gasolina onde uma frentista lava um carro. Ela estava com uma roupa curta, uma saia e estava meio que debruçada sobre o capô do carro, quando olho pra parede em frente tinha um cara agachado olhando o traseiro dela e não bastava olhar, o cara abriu o celular e começou a fotografar. Fiquei chocada. Um cara, com uns 30 anos parecia em idade ativa ainda, acredito que não precisava disso.

Bjoks

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Pai e avô.

Bom,
a forma é triste, mas a que encontrei para homenagear os dois homens mais importantes da minha vida depois dos meus irmãos.
Meu avô materno, Ladislau, que nos deixou a muitos anos (eu tinha 3 anos quando ele morreu). Era muito criança, mas tenho nítida imagem e muitos momentos. Sei que de onde ele está olha por minha família. Quero casar com uma homem como ele foi.
E meu pai, Jurandir, que já falei no post anterior.
Repito curtam seus pais e família. Amanhã pode ser que nenhum deles estejam aqui.
Parabéns a todos os papais e mamães que são pai também.



Pai
Fábio Jr

Pai!



Pode ser que daqui a algum tempo


Haja tempo prá gente ser mais


Muito mais que dois grandes amigos


Pai e filho talvez...


(Não tive tempo)





Pai!


Pode ser que daí você sinta


Qualquer coisa entre


Esses vinte ou trinta


Longos anos em busca de paz...


(Papai do Céu os levou antes, mas creio que eles possam me ver)





Pai!


Pode crer, eu tô bem


Eu vou indo


Tô tentando, vivendo e pedindo


Com loucura prá você renascer...


(Se Deus ouvisse minhas preces e pudesse, vocês nem teriam ido)





Pai!


Eu não faço questão de ser tudo


Só não quero e não vou ficar mudo


Prá falar de amor


Prá você...


(Pai - Fiquei... minha maior tristeza. Me calei e não disse o quanto você é importante)





Pai!


Senta aqui que o jantar tá na mesa


Fala um pouco tua voz tá tão presa


Nos ensine esse jogo da vida


Onde a vida só paga prá ver...


(Lágrimas, saudades do avô e do pai)





Pai!


Me perdoa essa insegurança


Que eu não sou mais


Aquela criança


Que um dia morrendo de medo


Nos teus braços você fez segredo


Nos teus passos você foi mais eu...


(Como queria teus braços aqui, para me carregar no colo e beijar a ferida e dizer que vai passar)





Pai!


Eu cresci e não houve outro jeito


Quero só recostar no teu peito


Prá pedir prá você ir lá em casa


E brincar de vovô com meu filho


No tapete da sala de estar


Ah! Ah! Ah!...


(Vô ... lembro mais dele, pois sei que se meu pai vivo fosse faria o mesmo que ele. Meu avô era isso... brincava. Se escondia atrás da porta sempre que chegavamos na casa dele. Minha esperança é que ele estivesse escondido lá...)





Pai!


Você foi meu herói meu bandido


Hoje é mais


Muito mais que um amigo


Nem você nem ninguém tá sozinho


Você faz parte desse caminho


Que hoje eu sigo em paz


Pai! Paz!...


(Fazem parte do meu caminho e da minha história).

BJOKS ;)