sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Louco Desejo




Os olhares e os sorrisos já denunciavam que existia algo além de amizade, aliás, acredito que tenha sido esse “algo além” que nos aproximou. A timidez sempre presente em ambas às partes talvez tenha alongado o tempo e tenha nos feito resistir ao que era inevitável, o que todos conseguiam ver em nossos olhos, nos desejávamos.
Nossas mãos e olhares sempre se procuravam. Eu tentava evitar, mas sempre o quis. Quando nos cumprimentávamos sentia meu corpo arrepiar todo, um frio na barriga que chegava a me assustar, mas não era paixão era somente carne. Isso me assustava. Em meus sonhos você estava presente, mas eram os sonhos mais obscenos, mas que na verdade me mostravam somente o que eu desejava. Mas sabia, via em seu olhar e sorriso que queria também.
Um abraço seu me desmontava. Era acionado um incêndio dentro de mim. Achava que estava ficando louca, mas a cada dia tinha mais certeza do desejo que eu sentia por você. Cada dia, mês que se passava o incêndio que existia dentro de mim tomava grandes proporções. Não conseguia mais disfarçar. Dançar com você era maravilhoso, mas era um jogo de sedução. Nos insinuávamos, nos esfregávamos e os calafrios e a vontade de que você me dominasse só aumentava, mas a barreira da timidez ainda nos impedia de ousar. Até que uma música mais lenta e nossos rostos se tocando... Você falando sobre qualquer coisa ao meu ouvido, não conseguia me concentrar meu desejo não deixava. Uma brincadeira fez com que nos olhássemos olho no olho e que dessa vez fossemos a diante. Senti meus lábios nos seus. Enfim o beijo, o primeiro de muitos. Saímos de lá com vontade de mais. Fiquei mais assustada, pois sabia que não queria somente beijos e não conseguiria dizer não. Que loucura era essa dentro de mim?
Nosso contato era praticamente diário, mas havia a necessidade de mantermos tudo em segredo. Não podíamos ficar juntos sempre. Nossos olhares e sorrisos continuavam a nos denunciar. Nos arriscávamos. Tentava ser fria e dizia não, mas sempre querendo o contrário. Tentei manter só a amizade, mas às vezes nos rompantes mais loucos quando percebia já estávamos nos beijando, e nossas mãos percorrendo os nossos corpos. Até que um dia resolvi matar minha vontade e ceder ao desejo, por quase um ano depois do beijo tentei manter a distância e dizer não, até por medo de me apaixonar por alguém que sabia que só me desejava.
Mais uma vez em um rompante larguei meu trabalho e fui ao seu encontro mal podíamos esperar por aquele momento. Rendi-me ao meu desejo e foi maravilhoso.
Alguns anos se passaram. Sei que não nos amamos, e sei lá se há paixão (creio que não), mas tenho certeza que há uma atração inexplicável da minha parte. Sempre que digo não, é querendo dizer sim.
O incêndio já não é acionado com tanta facilidade, mas quando acionado continua a queimar da mesma forma. Os rompantes ainda acontecem. Tento sempre resistir, mas meu corpo grita pelo seu.
Os últimos rompantes não foram concluídos como queria.Eu disse não mais uma vez, quando meu corpo, meus gestos diziam sim. Agora esse incêndio insiste em queimar e o meu desejo a aumentar. Já sei onde essa história vai acabar e estou contado os segundos pra isso acontecer... Que desejo louco é esse que não cessa?

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Indignação!! Até quando?!!

Passo por aqui rapidamente para manifestar minha indignação e meu repúdio.
Até quando inocentes morrerão e seus culpados serão absolvidos pela justiça que devia nos proteger?
Estou indignada pela absolvição do cabo Willian de Paula que foi acusado de matar o menino João Roberto de 3 anos na Tijuca, aqui no Rio. Amo a minha cidade e em especial esse bairro. Como pode uma família perder um ente querido pelos simples fato de abrir passagem para que o carro da polícia passe? Além de ter o carro metralhado, de perder um filho havia a esperança que justiça fosse feita. Cara, Renato Russo já perguntava há anos atrás que país é esse. Faço dele minhas palavras, que país é esse? Que cidade é essa? Que justiça é essa?
EU QUERO E PRECISO CRER NA JUSTIÇA DO MEU PAÍS. EU QUERO QUE OS RESPONSÁVEIS SEJAM PUNIDOS. NÃO ACEITO ISSO.
ATÉ QUANDO PRECISAREMOS VER UMA CENA COMO A QUE COLOCO ABAIXO? ATÉ QUANDO SORRISOS COMO ESSE QUE ESTÁ ABAIXO, VÃO “SUMIR” DE FORMA VIOLENTA E COVARDE CAUSADA EM FUNÇÃO DE PROFISSIONAIS DESPREPARADOS?
ATÉ QUANDO?

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Notícias

Olá povo!!!

Estou morrendo de saudades daqui. Estou trabalhando muito, muito mesmo. Minha chefia mudou e o cara delega demais e, além disso, estou cobrindo a licença de uma menina, ou seja, enlouquecendo.
As provas terminaram e estou tentando expulsar um professor da facul. Mó loucura. Sou a pessoa mais pop da facul. Rsrsrs Onde passo as pessoas me apontam e dizem “foi ela, a menina que enviou o e-mail e que está quase expulsando aquele idiota”. Estou adorando! É aquilo, o cara não sabe com quem mexe. Foi vacilar com a pessoa errada. Ou a Universidade quanto instituição toma uma providência ou eu tomo: denuncio ao MP.
Ai fudeu de vez pra ele (desculpe o palavrão, mas é pra deixar claro). Queria contar tudo, mas não dá. AFF!!
E o mundo hein?! Como dá voltas!!! Rsrsrs Coisas do coração. No passado me feriram e agora recorrem a mim para pedir ajuda. Darei de coração aberto, pois como eu sempre digo nossas ações são como bumerangs, que vão e depois voltam em nossa direção.
Meu tio iniciará a quimio. Resolveu aceitar o tratamento e já fala sobre a doença. Está fraquinho e com diversas complicações cardíacas, mas está melhor e eu otimista. Minha família mais unida. Que Deus nos abençoe.
Voltei a ter vida social. Adoro essa época do ano quando começam os ensaios de bloco, pois adoro um samba. Fui ao show da Beth Carvalho na Marina da Glória semana passada TUDO. Só citei isso porque ao sair do show (que conheci gente MUITO interessante) vi um casal transando encostado num carro. SURREAL! O pior é que eu narrava os fatos antes que os mesmos acontecessem. Todo mundo rindo. Cara, mas dava pra deduzir. O mais engraçado foi a gente saindo no carro com um dos meninos gritando carinhosamente um monte de adjetivos pra ela e o outro indignado porque ela não tinha direito de fazer aquilo ali por causa dos pais dela. Pára tudo!! Pensar nos pais nessa hora é uma falta de respeito, já diria minha amiga Mi.
Gente, tenho que ficar por aqui.
Desculpe a ausência.
Voltarei em breve e tentarei comentar porque ler, eu sempre leio.
Bjoks