terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Meu espetáculo continua...

Só cabe a mim escrever um fim para minha história ou uma nova história para minha vida. E assim o fiz. Mudei o foco e estou escrevendo novas histórias, mudando o rumo, inserindo novos personagens.





Depois de tomada a decisão de tirar um personagem do papel principal não havia criatividade nem vontade de mudar, uma tristeza profunda tomou conta de mim. Os atos eram chatos e nada me fazia esquecer. Muitas lágrimas derramadas. O espetáculo mais uma vez perdeu o ritmo a graça.





Nas andanças da vida, encontrei outro personagem, a princípio sem espaço e insistente, mas que fez merecer um teste para ocupar algum papel. Resolvi então começar a escrever um novo capítulo. Esse personagem foi crescendo e mesmo com as comparações iniciais foi tomando espaço. Mas um espaço diferente... Foi me apresentando uma maneira diferente de encenar, me mostra os valores do meu espetáculo e por que não dizer o meu valor no meu espetáculo. Nessas mudanças cometi alguns erros, julguei errado, fiquei confusa, também erraram comigo, mas é errando que se aprende.





O novo personagem tem mudado, mas está de um jeito ou de outro presente me mostrando o valor das coisas e das pessoas. É paciente comigo, respeita minhas escolhas, fica ao meu lado, mesmo durante a madrugada me ajudando a estudar para uma prova difícil, às vezes cochilando é verdade, mas está ali.


Essa grande encenação chamada vida, às vezes nos surpreende com acontecimentos que jamais achamos possíveis.


O personagem que perdeu o papel principal teve seu espetáculo alterado de forma surpreendente. É engraçado, pois tal mudança devia ser vista com alegria por mim e foi tão indiferente. Acho que depois de tanto tempo cada um ocupa, de fato, o papel que lhe é merecido e devido e isso me faz bem. Saber que superei, saber que as coisas voltaram para seu devido lugar.


A máscara já não mais me pertence, o louco desejo acabou e só as lembranças existem. O sentimento que não se controla cessou, e o ato por ser dado como completo e até mesmo com o final feliz.



O novo personagem ainda não se estabeleceu ou ocupa um papel principal, mas ocupa um papel importante e fundamental, pois foi ele que me tirou do fundo do palco, me devolveu ás rédeas do espetáculo e me mostrou o quanto as histórias estavam sem fundamento e os valores perdidos. Pode ser que tal personagem resolva sair desse meu espetáculo por mais que ele saiba que não é o que quero, mas se o fizer, mal sabe que escreveu um capítulo de grande importância nesse meu espetáculo chamado vida.,

Quem venham os novos atos, afinal, o espetáculo segue.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Confusa



Sinto-me perdida, confusa. O passado que me assombra e persegue, por mais que para mim seja apenas passado.
Um presente tão calmo, inicialmemte tão seguro, que quero que se prolongue. Um medo de estar fazendo tudo errado, mesmo tentando acertar o tempo todo. Um medo de magoar, de ferir com o meu jeito de ser.
É estranho como alguém ganha importância sem querer, sem saber. Mais estranho é ver como a mesma pessoa mudou tanto, se afastou tanto... Isso me deixa triste.
O tempo não volta. Não tenho como reescrever tudo, mas tentar mostrar quem realmente sou, basta saber se ainda há tempo e vontade de conhecer essa pessoa que está escondida aqui.
Tomara que consiga.
Bjoks

PS: Concluí a facul. Agora sim: Contadora.

sábado, 21 de novembro de 2009

Falhei

É ruim quando tentando acertar erramos.

É difícil reconhecer que uma atitude deixou triste alguém, que se quer bem, que só te faz bem. É ruim ter que reconhecer o erro para si. A sensação de sentir-se o pior dos seres ao se olhar no espelho e dizer: É, ERREI.

Falhar mais uma vez, mesmo sem a intenção, mesmo tentando fazer o que é correto, mesmo não querendo perder.

Só nos resta um caminho: pedir desculpas, mesmo sabendo que tal pedido não apagará o fato ocorrido.

Mas o pior é encontrar o silêncio como resposta. Silêncio que parece dizer mais que mil palavras, que condena e deixa mais evidente as proporções do ato falho, do egoísmo, da injustiça cometida.

Na minha ânsia de acertar creio que tenha errado e tal falha me deixa angustiada.


Estou triste, por saber que mais uma vez erro tentando ser melhor e fazer tudo diferente. A minha busca pela perfeição me faz mal, pois sei que possuo muitas falhas, não só as possuo, mas as cometo.

Talvez tenha que me isolar um tempo do mundo, das novidades, para que eu possa melhorar e assim não deixar triste alguém que só se quer bem.

Só espero, que mais uma vez, eu não esteja errando buscando acertar.


"Passei a vida tentando corrigir os erros que cometi na minha ânsia de acertar."
Clarice Lisperctor

domingo, 15 de novembro de 2009

Saudades


Essa é a palavra que define o dia de hoje.

Há seis anos meu pai se foi. Tanta coisa vivida que ele não viu... Minha formatura chegando. Sonhos sonhados juntos na infância e que quando se realizarem faltará alguém, o abraço, o parabéns. Dói.

Hoje faz dois meses que meu tio partiu. Essa ferida está muito aberta, está sangrando, mas vai passar. Ou melhor vai mudar, passar, jamais.
Papai do Céu, me faz forte e me dá sabedoria para entender e aceitar seus designos. Não está sendo fácil. Amém.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

O meu espetáculo


A vida é um espetáculo onde cada um representa seu papel. Alguns têm um espetáculo curto, outros longos. Alguns atos são felizes, outros dramáticos, outros cômicos e por aí vai. Mas a única certeza é que todo espetáculo tem seu fim.
Tanta gente passou nesse meu espetáculo chamado vida, mas sempre você ficou. Sempre soube que seria difícil dizer um adeus pra você. Sempre temi por esse dia. Três anos se passaram e só esse ano que vi o quanto você era importante em minha vida. Vi o quanto meu coração estava preso a você.
Sempre soube também que esse não era o caminho certo, sempre soube meu papel em sua vida, sempre soube que no seu espetáculo eu pouco apareceria e quando isso ocorresse seria mera figurante, quem sabe em alguns momentos, coadjuvante. Esse era o meu máximo.
Está doendo a muito. Está muito complicado lidar com mais uma ausência agora. Está muito difícil estar tão perto e tão longe. Esta difícil não compartilhar planos, projetos, idéias, medos, brincadeiras. É difícil fingir que você não está aqui. É complicado mudar a rotina.


Queria não ter que sentir o que sinto. Queria muito que esse ato do meu espetáculo tivesse um fim mais bonito, onde ao invés de tristeza, só existisse alegria. Queria não ter me apaixonado pela pessoa errada. É tão difícil admitir isso pra você e pro mundo. Foi e está sendo difícil me despir e me mostrar tão frágil, tão pequena. Mas é muito pior me ver tão insignificante, tão sem importância. É estranho, mas me sinto suja por ter representado esse papel, parece que máscara que vesti ainda me pertence.
Ah se o tempo voltasse... Se eu pudesse escolher novamente, não teria me entregado a esse personagem, não teria cedido ao louco desejo que sempre toma conta de mim, mas se fosse só o desejo, não teríamos problemas. O meu grande problema é que não se controla sentimento, não se consegue interpretar o papel de figurante no espetáculo de alguém que no seu espetáculo tem papel principal. Queria só a “amizade colorida”, queria só o fogo de palha, queria só saber que sempre haveria fogo, mas meu coração pulsa mais forte por você.
Tantas vezes tentei virar essa página. Tentei não mais escrever essa história ou até mesmo trocar os personagens. Tentei em vão, por duas vezes esse ano, colocar outro em seu lugar. Te coloquei como coadjuvante, mas não adiantou. O espetáculo perdia o ritmo e você talentoso voltava ao papel principal, com outras características é verdade, mas sempre lá, com destaque.
Depois de duas cenas confusas, optei por surpreender os espectadores e de não mais te oferecer o papel principal. Analisei melhor o seu espetáculo: olhei o cartaz de apresentação, vi as propagandas, vi os atores, compreendi os atos... Vi que eu, uma grande estrela nos espetáculos de tantos, estou como um figurante em seu espetáculo. De forma triste e dolorosa, encerrei o ato. Encerrei o capítulo.
Tento agora escrever uma nova história com os personagens já existentes. Tento também te tirar de vez do meu coração, mas não quero tirá-lo da minha vida, do meu espetáculo, mas quero que cada um ocupe, de fato, o lugar que lhe é devido e merecido. Afinal, só cabe a mim escrever um fim para minha história ou uma nova história para minha vida.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Nova Campanha

Olá!!!


é estou tentando voltar para falar de amenidades.

Voltei ao meu lindo cantinho para lançar uma nova campanha. Não aguento mais ônibus, metrô, trêm lotados e aquele cheiro desagradável que circula no ar, por isso peço o apoio de todos. O título da camanha é: "DESODORANTE PARA TODOS".


Gente eu literalmente passo mal com o mal cheiro das pessoas. Como pode??! As vezes nem calor está, mas as pessoas não curtem um banhozinho, lavar a roupa então... Sai de baixo!

Por isso, a camanha. Mais uma vez peço o apoio de vocês.


PS: PRECISO DE UM JINGLE!

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Papai do Céu o levou


Olá,


é isso: meu tio morreu. O câncer o venceu. Papai do Céu resolveu ter perto dele alguém muito especial, então o chamou na madrugada do dia 14 para o dia 15 desse mês. Ele sofreu muito antes de morrer. Não quero escrever sobre isso, apenas pedir que rezem por toda minha família que está sofrendo demais. Sei que a dor vai diminuir e a saudade aumentar, mas a dor da perda é uma dor que não acaba nunca.

Deixo abaixo dois textos: Uma música que sempre que estou muito triste ouço e faço dela meu hino. E um texto enviado por uma amiga no dia seguinte da morte, que me fez chorar, porém refletir.


Sorri

Composição: Charles Chaplin/G.Parson/J. Turner

Sorri

Quando a dor te torturar
E a saudade atormentar
Os teus dias tristonhos, vazios

Sorri
Quanto tudo terminar
Quando nada mais restar
Do teu sonho encantador

Sorri
Quando o sol perder a luz
E sentires uma cruz
Nos teus ombros cansados, doridos

Sorri
Vai mentindo a tua dor
E ao notar que tu sorris
Todo mundo irá supor
Que és feliz

*******************************************

MORTE

~ Que modo simples e maravilhoso de explicá-la. ~


Um homem muito doente virou para seu médico enquanto se preparava para sair da sua sala, e disse:

"- Doutor, estou com medo de morrer. Por favor, diga-me o que há do outro lado".
Calmamente o médico falou:
"- Não sei."

"O senhor não sabe? És um homem cristão e não sabe o que há do outro lado?"
O médico estava segurando a maçaneta, quando ouviu o som de arranhar e gemer do outro lado da porta .
Ao abri-la, seu cachorro entrou correndo e pulou alegremente sobre ele.

Voltando-se para o paciente, o médico disse:

"- Você prestou atenção no meu cachorro? Ele nunca esteve nessa sala antes. Não sabia o que havia aqui dentro. Sabia apenas que o seu mestre estava aqui. E, quando a porta se abriu, ele foi entrando sem medo. Eu sei pouco sobre o que há do outro lado, após a morte, mas tenho certeza de uma coisa: Que meu Mestre estará lá. E isso é o bastante pra mim"

Bjoks

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Coisas entre o céu e a terra


Hoje li o blog da Fernanda (http://eusempresobrevivo.blogspot.com/), pessoa que nem conheço pessoalmente, mas que desperta em mim grande admiração. Ela conta que sonhou com a mãe que já é falecida. Acredito que entre o céu e a terra existam coisas que ninguém consiga explicar e uma delas é a ligação com quem já se foi. Não sou espírita, não creio em reencarnação, mas acredito que quando temos uma ligação muito grande com as pessoas, sentimento verdadeiro nos “conectamos” com mesmo com quem já se foi.
Qualquer um me perguntaria: Baseado em que eu estou dizendo isso? Em experiências já vividas por mim.
Meu avô se foi eu era muito criança, diversas vezes minha mãe ou eu já sonhamos com ele nos avisando, alertando sobre um monte de coisas. É estranho, mas sinto que ele nos observa de algum lugar, uma espécie de anjo. Antes de tomarmos conhecimento do câncer do meu tio, ano passado, sonhei com ele brigando conosco e nos pedindo para ficarmos unidos, e sermos fortes, pois tudo poderia ser superado.
Minha mãe e meu tio depois que se casaram cada um seguiu sua vida. Não conviveram mais como irmãos e sim como meros conhecidos. Nossa família só se reunia em enterros, grandes festas da família e/ou quando alguém se internava e pedíamos o auxílio dele, por ser médico. Quando minha mãe teve o câncer ele foi imprescindível, esteve conosco e depois de superado voltaram a se afastar.
Agora com a doença dele eles se declararam e viram tudo que perderam, sofrem pelo que não viveram. Acho que podiam estar mais juntos e unidos, e se tudo podia ser superado com a nossa união, não foi, de acordo os médicos (suspenderam a medicação e estimaram em três meses a vida dele – TA PHODAAAAA).
O que nos faz sofrer nos ensina a ver a vida de outra forma, e se é algo que aprendi com a perda do meu pai, o câncer da minha mãe, agora o do meu tio e a internação da minha avó que sofre com o mal de alzheimer no último mês, é que a vida sempre nos diz que hoje é o último dia, o amanhã realmente pode não chegar e como já dizia Renato Russo: “A primeira vez é sempre a última chance”.
Prezem pela convivência com quem está próximo, com quem amamos, meça as palavras, peça perdão, usufrua cada momento, seja ele bom ou ruim, pois tudo acaba. Todos nós iremos para algum lugar quando nossa passagem nesse mundo acabar, e se todos esses relacionamentos forem pautados pelo amor, respeito, carinho, gratidão, quem sabe não teremos mais “anjos” olhando por nós?
Não quero mais escrever, pois isso me deixa muito triste. Rezem por minha família. Por minha avó que fez uma cirurgia (depois eu conto), pelo meu tio (não quero que ele sofra mais) e por minha mãe que está muito pra baixo e temo pela saúde dela, além disso, descobrimos que ela está com cálculos renais (doem muito) e que provavelmente terá que ser submetida a uma cirurgia. Não está fácil, mas vamos superar.

* Uma notícia boa: Fui promovida!!!

Fiquem bem.

Bjoks

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Mulheres


"Há mulheres de todos os gêneros. Histéricas, batalhadoras, frescas, profissionais, chatas, inteligentes, gostosas, parasitas, sensacionais. Mulheres de origens diversas, de idades várias, mulheres de posses ou de grana curta. Mulheres de tudo quanto é jeito. Mas se eu fosse homem prestaria atenção apenas num quesito: se a mulher é do tipo que puxa para cima ou se é do tipo que empurra para baixo.

Dizem que por trás de todo grande homem existe uma grande mulher. Meia-verdade. Ele pode ser grande estando sozinho também. Mas com uma mulher xarope ele não vai chegar a lugar algum.

Mulher que puxa para cima é mulher que aposta nas decisões do cara, que não fica telefonando paro escritório toda hora, que tem a profissão dela, que o apoia quando ele diz que vai pedir demissão por questões éticas e que confia que vai dar tudo certo.

Mulher que empurra para baixo é a que põe minhoca na cabeça dele sobre os seus colegas, a que tem acessos de carência bem na hora que ele tem que entrar numa reunião, a que não avaliza nenhuma mudança que ele propõe, a que quer manter tudo como está.

Mulher que puxa para cima é a que dá uns toques na hora de ele se vestir, a que não perturba com questões menores, a que incentiva o marido a procurar os amigos, a que separa matérias de revista que possam interessá-lo, a que indica livros, a que faz amor com vontade.

Mulher que empurra para baixo é a que reclama do salário dele, a que não acredita que ele tenha taco para assumir uma promoção, a que acha que viajar é despesa e não investimento, a que tem ciúmes da secretária.

Mulher que puxa para cima é a que dá conselhos e não palpite, a que acompanha nas festas e nas roubadas, a que tem bom humor.

Mulher que empurra para baixo é a que debocha dos defeitos dele em rodinhas de amigos e que não acredita que ele vá mais longe do que já foi.

Se por trás de todo grande homem existe uma grande mulher, então vale o inverso também: por trás de um pequeno homem talvez exista uma mulherzinha de nada"

Autora: Martha Medeiros

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-


Adorei esse texto. Resolvi colocá-lo aqui.

Bjoks

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Amigos

Olá Povo!!!

Consegui um tempinho para escrever e postar.
Dia do amigo passou e nem postei algo sobre o tema, mas aproveitei muito o dia e comemorei também.
Desde que terminei o segundo grau que esse dia é feito um encontro dos amigos que lá formamos, uma segunda família que chora junto, ri e muito junto, fala muitas besteiras, fala coisas sérias, faz planos para o futuro. É engraçado vê-los agora e lembrar de tudo o que vivemos. Essa família está meio espalhada. Tem gente em Brasília, Macaé, São João de Meriti e por aí vai. Mas estamos sempre juntos. Foi maravilhoso. Fomos ao Beluga, um restaurante que tem um rodízio de pizza muito bom. Comi horrores. Mais uma vez concluo que sem esses amigos não seria o que sou e como sou, seria um ser tão pequeno... Tão sem valor. Amo muito meus amigos e gostaria de morrer antes de todos para não sentir a dor de sua partida.
Recebi tantas mensagens lindas. Mandei duas muito bonitas para amigos do peito. Até chorei escrevendo e chorei em ler as respostas. Deus é muito gente boa comigo, colocar pessoas tão especiais no meu caminho e na minha vida.
Ontem também comemorei, mas com os amigos da facul. Pessoas fantásticas que conheci, convivi e convivo, aprendi a admirar e a gostar. Cara!!! Me colocam com o astral nas alturas e me mostram a vida de outra forma, de forma mais simples, mais bonita. Fizemos junto com nosso encontro um bolinho surpresa para o Cris que fez aniversário no sábado. Foi muito legal.
Para vários amigos mandei uma mensagem engraçada, bem objetiva e grossa como a pessoa que vos escreve, as respostas foram ótimas. RSRSRS
Vou deixar a mesma mensagem aqui, pois é o mesmo que desejo aos meus amigos do Blog.
Deixo também uma frase que um amigo meu usa e acho que é muito boa também.Amigos de verdade entenderão essas frases. Entendam a essência.
Valorizem seus amigos. Você se imagina sem eles?
Bjoks

"Amigo não é aquele que chega pra apartar uma briga, mas sim aquele que chega dando voadora".

segunda-feira, 13 de julho de 2009

NEWS!




Consegui um tempo e cabeça para escrever. Muita saudade do meu cantinho. Tem duas semanas que entro todos os dias. Visito “meus amiguinhos virtuais”, mas não comento. Ando meio fechada. Dificuldade pra expressar em palavras tudo o que gostaria, meus altos e baixos.
Quase dois meses longe e tanta coisa aconteceu. Tantos ciclos se fecharam e se iniciaram. Algumas coisas ótimas, outras que me fazem sofrer demais. Vou contando as novidades tentando seguir a ordem cronológica.
Mudei de casa. Graças a Deus. Não suportava onde morava. Minha família toda voltou a morar junto, numa casa mega confortável. Voltei a ter meu quarto... Iuuuppeeeee!! Estamos colocando tudo em ordem ainda. Apesar de ser mais longe é mais confortável e mais tranqüilo.
Tirei férias para concluir meus projetos da facul. Consegui. Falta pouco para terminar. Tirei 10 e 9. Minha turma se forma agora. Muitas comemorações por conta disso. Muito feliz por todos eles, apenas um aperto no coração, pois não estaremos juntos de beca na colação, mas optei por retardar minha formação por causa do meu inglês que estava muito fraco e me formar assim seria uma idiotice. Deu certo!! Dei um gás no inglês. Termino uma fase agora e passo só para a professora particular. Estou de saco cheio de cursos. E que venha o próximo e o último semestre! Já estou escolhendo a pós.
Nesse período das férias e de tanta ansiedade por conta da mudança e da facul engordei 4 kg em duas semanas. Fiquei arrasada. Um esporrão da nutricionista e nova dieta. Consegui emagrecer, mas a ansiedade continua a me tirar do sério. Aff!
Todas as alegrias foram atrapalhadas pela notícia que o câncer do meu tio deu metástase em dois órgãos. Não consigo escrever sobre isso. Muito triste. Já chorei muito. Me revoltei. Mas não adianta. O Deus que eu creio faz o que é impossível aos nossos olhos, então creio sim na cura, mas peço que seja feita a vontade dele, quando todos me dizem que é idiotice. Peço que dê força a toda minha família para tudo que o futuro nos reserva e que se o milagre não for feito que meu tio não sofra mais. Ah! Importante ressaltar que o médico receitou um remédio que custa só R$ 5.800,00/mês. Ele tem que usar por seis meses. Tivemos que acionar a justiça. Conseguimos. Mas é o fim né?! Olha o tempo que se perde.
Minha vozinha também está meio dodói. Pneumonia. Está se recuperando bem.
Com o fim da facul consegui fechar um ciclo em minha vida. Virar a página. Não foi fácil. Consegui colocar um ponto final em um “relacionamento”. Fiz o que é certo, dadas as circunstâncias. Fiquei muito orgulhosa de mim pela forma que foi e por ter conseguido expor tudo e manter uma amizade com alguém tão especial. Conversamos como duas pessoas maduras e conscientes de seus erros e acertos. Chorei muito, mas me sinto melhor. Mais leve.
Voltei a ter vida social. Tudo de bom!!!
Conheci alguém que tem feito tudo ser melhor. Vivido experiências não vividas antes. Estar com essa pessoa é muito bom. Tem me feito um bem absurdo. Tenho recebido muito carinho, muitos beijos... Ai tudo de bom!! Sabe quando assusta, mas o susto bom?! Como disse a ele, repito aqui: Não sei do futuro, mas se eu conseguir fazer a ele o bem que ele me faz fico feliz. O que será disso e isso? Não sei... Viver tudo o que a vida possa me oferecer. Ser feliz e fazer as pessoas a minha volta feliz, isso é o que eu quero. O futuro a Deus pertence.
Bom povo, em suma é isso. Estou viva e bem. Espero conseguir voltar a postar e a comentar com freqüência. Aguardo respostas positivas em outros aspectos de minha vida para compartilhar com vocês.
Saudades.
Bjoks em todos.

P.S: PQP esse ano está voando.

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Entre a dor e o nada, o que você escolhe?



"Não quero defender as relações falidas e que só fazem mal, nem estou sugerindo que as pessoas insistam em sentimentos que não são correspondidos, em relacionamentos que não são recíprocos, mas quero reafirmar a minha crença sobre o quanto considero válida a coragem de recomeçar, ainda que seja a mesma relação; a coragem de continuar acreditando, sobretudo porque a dor faz parte do amor, da vida, de qualquer processo de crescimento e evolução.
Pelas queixas que tenho ouvido, pelas atitudes que tenho visto, pela quantidade de pessoas depressivas que perambulam ocas pelo mundo, parece que temos escolhido muito mais vezes o "nada" do que a "dor".
Quando você se perguntar "Do que adianta amar, tentar, entregar-se, dar o melhor de mim, se depois vem a dor da separação, do abandono, da ingratidão?".
Pense nisso:
Então você prefere a segurança fria e vazia das relações rasas?
Então você prefere a vida sem intensidade, os passos sem a busca, os dias sem um desejo de amor?
Você prefere o nada, simplesmente para não doer?
Não quero dizer que a dor seja fácil, mas pelo amor de Deus, que me venha a dor impagável do aprendizado que é viver.
Que me venha a dor inevitável à qual as tentativas nos remetem.
Que me venha logo, sempre e intensa, a dor do amor...
Prefiro o escuro da noite a nunca ter me extasiado com o brilho da Lua...
Prefiro o frio da chuva a nunca ter sentido o cheiro de terra molhada...
Prefiro o recolhimento cinza e solitário do inverno a nunca ter me sentido inebriada pela magia acolhedora do outono, encantada pela alegria colorida da primavera e seduzida pelo calor provocante do verão...
E nesta exata medida, prefiro a tristeza da partida a nunca ter me esparramado num abraço...
Prefiro o amargo sabor do "não" a nunca ter tido coragem de sair da dúvida...
Prefiro o eco ensurdecedor da saudade a nunca ter provado o impacto de um beijo forte e apaixonado... daqueles que recolocam todos os nossos hormônios no lugar!
Prefiro a angústia do erro a nunca ter arriscado...
Prefiro a decepção da ingratidão a nunca ter aberto meu coração...
Prefiro o medo de não ter meu amor correspondido a nunca ter amado ensandecidamente.
Prefiro a certeza desesperadora da morte a nunca ter tido a audácia de viver com toda a minha alma, com todo o meu coração, com tudo o que me for possível...
Enfim, prefiro a dor, mil vezes a dor, do que o nada...
Não há de fato algo mais terrível e verdadeiramente doloroso do que a negação de todas as possibilidades que antecedem o "nada".
E já que a dor é o preço que se paga pela chance espetacular de existir, desejo que você ouse, que você pare de se defender o tempo todo e ame, dê o seu melhor, faça tudo o que estiver ao seu alcance, e quando achar que não dá mais, que não pode mais, respire fundo e comece tudo outra vez...
Porque você pode desistir de um caminho que não seja bom, mas nunca de caminhar...
Pode desistir de uma maneira equivocada de agir, mas nunca de ser você mesmo...
Pode desistir de um jeito falido de se relacionar, mas nunca de abrir seu coração...
Portanto, que venha o silêncio visceral que deixa cicatrizes em meu peito depois das desilusões e dos desencontros... Mas que eu nunca, jamais deixe de acreditar que daqui a pouco, depois de refeita e ainda mais predisposta a acertar, vou viver de novo, vou doer de novo e sobretudo, vou amar mais uma vez... e não somente uma pessoa, mas tudo o que for digno de ser amado!"

Rosana Braga

terça-feira, 12 de maio de 2009

Procure seu caminho


"Navegue, descubra tesouros, mas não os tire do fundo do mar. O lugar deles é lá.
Admire a Lua, sonhe com ela, mas não queira trazê-la para a Terra.
Curta o Sol, se deixe acariciar por ele, mas lembre-se de que o seu calor é para todos.
Sonhe com as estrelas, apenas sonhe. Elas só podem brilhar no céu.
Não tente deter o vento, ele precisa correr por toda parte. Tem pressa de chegar sabe-se lá onde.
Não ampare a chuva. Ela quer cair e molhar muitos rostos. Não pode molhar só o seu.
Quem você ama? Guarde num porta jóia e perca a chave. Quem você ama é a maior jóia que você possui, a mais valiosa.
Não importa se a estação do ano muda, se o século vira, se o milênio é outro, se a idade aumenta! Conserve a vontade de viver, não se chega à parte alguma sem ela.
Abra todas as janelas que encontrar e as portas também.
Persiga um sonho, mas não deixe ele viver sozinho.
Alimente sua alma com amor, cure suas feridas com carinho.
Descubra-se todos os dias. Deixe-se levar pelas vontades, mas não enlouqueça por elas.
Procure, sempre procure o fim de uma história, seja ela qual for.
Acelere seus pensamentos, mas não permita que te consumam.
(...)
Procure seu caminho, mas não magoe ninguém nessa procura.
Arrependa-se, volte atrás, peça perdão!
Não se acostume com o que não te felicita, revolte-se quando julgar necessário.
Alague seu coração de esperanças, mas não deixe que ele se afogue nelas.
Se achar que precisa voltar, volte!
Se perceber que precisa seguir, siga!
Se estiver tudo errado, comece novamente.
Se estiver tudo certo, continue.
Se sentir saudades, mate-a.
Se perder um amor, não se perca.
Se achá-lo, segure-o!
Circunda-te de rosas, bebe, ama e cala. O mais é nada."

Há quem diga que a autoria desse texto é de Fernando Pessoa, mas há quem jure que não. Seja lá de quem for eu gostei e resolvi colocar aqui.


Meu coração hj está apertadinho e meio tristonho. Gostar e não ser correspondido não é legal. Mas é a vida.


Bjoks

domingo, 26 de abril de 2009

Meu Aniversário.

“Brindo a casa, brindo a vida, meus amores, minha família...”
É gente fiquei mais velha... Não teve jeito ¼ de século, 25 anos chegou. Há 10 anos atrás eu debutava. Imaginava que seria “a fodona” quando chegasse a essa idade, mas parece que tenho mais dúvidas e sempre perseguindo o mesmo objetivo: SER FELIZ.
Hoje pensei durante todo o dia em que escrever, e só uma coisa vinha em minha mente: agradecimento.
Agradeço a Deus pelo Dom da Vida. Vida essa condenada pelos médicos desde o início, minha mãe teve rubéola quando grávida de mim, logo, deveria ter abortado e não o fez. Eu nasci perfeita (talvez um desvio mental qualquer... rsrsrs). Já nasci com a bunda virada pra lua e por que não dizer com a lua dentro dela né?!! Não acredito em sorte e sim que eu sou muito amada e devo ter uma missão muito especial de Deus aqui nessa terra. Tenho uma família que amo mais que tudo, pude escolher alguém para chamar de pai (senti muito sua falta hj...:’[ ), sempre tive amigos para me apoiarem quando mais precisei. Sempre tive um teto apesar dos sufocos que passamos, principalmente no pós-Collor e na fase FHC. Consegui entender que dinheiro não é tudo, mas que é importante pra cacete.
Agradeço hoje a Deus por todos os milagres operados em minha família, o câncer de minha mãe, a recuperação do meu irmão mais novo após seu atropelamento que quase o matou, a superação de meu irmão mais velho, que segundo os médicos, não passaria dos 3 meses de vida.
Agradeço pelo meu trabalho, que é fonte do meu sustento. Pelos meus estudos. Pela minha faculdade que sempre foi meu sonho e quando achei que seria impossível, ganhei de presente. Mesmo com os sustos no caminho da realização (desemprego), já está chegando ao fim e me abrindo tantas portas.
Agradeço muito e peço, mais e sempre, pela minha saúde. Que mesmo tendo vários “probleminhas” consigo cuidar, pois tenho o privilégio de possuir um plano de saúde.
É meu povo, se olhar para o lado “de rabo de olho” vejo que sou uma afortunada, pois já passei bem e feliz pela infância, adolescência e já estou na fase adulta e nunca passei uma noite num hospital e tanta criança nesse mundo só queria poder ir pra casa.
Percebi que tenho muito o que buscar, quero muita coisa, mas TUDO QUE EU QUERO, EU POSSO E EU CONSIGO, então hoje obrigada DEUS e a todos que fazem parte da minha vida e história, pois minha vida é maravilhosa.
**********************************************************

Esta noite foi muito feliz. Comemorei meu aniversário em um barzinho e pude reunir alguns dos meus amigos mais queridos. AMO MT TD ISSO!! Obrigada povo.






















Bjoks

quinta-feira, 23 de abril de 2009

São Jorge - O santo guerreiro

Como boa carioca que sou, sou devota de São Jorge.


Dia: 23 de abril
História: Em torno do século III D.C., quando Diocleciano era imperador de Roma, havia nos domínios do seu vasto Império um jovem soldado chamado Jorge. Filho de pais cristãos, Jorge aprendeu desde a sua infância a temer a Deus e a crer em Jesus como seu salvador pessoal.
Nascido na antiga Capadócia, região que atualmente pertence à Turquia, Jorge mudou-se para a Palestina com sua mãe após a morte de seu pai. Lá foi promovido a capitão do exército romano devido a sua dedicação e habilidade - qualidades que levaram o imperador a lhe conferir o título de conde. Com a idade de 23 anos passou a residir na corte imperial em Roma, exercendo altas funções.
Por essa época, o imperador Diocleciano tinha planos de matar todos os cristãos. No dia marcado para o senado confirmar o decreto imperial, Jorge levantou-se no meio da reunião declarando-se espantado com aquela decisão, e afirmou que os os ídolos adorados nos templos pagãos eram falsos deuses.
Todos ficaram atônitos ao ouvirem estas palavras de um membro da suprema corte romana, defendendo com grande ousadia a fé em Jesus Cristo como Senhor e salvador dos homens. Indagado por um cônsul sobre a origem desta ousadia, Jorge prontamente respondeu-lhe que era por causa da VERDADE. O tal cônsul, não satisfeito, quis saber: "O QUE É A VERDADE ?". Jorge respondeu: "A verdade é meu Senhor Jesus Cristo, a quem vós perseguis, e eu sou servo de meu redentor Jesus Cristo, e nele confiado me pus no meio de vós para dar testemunho da verdade."
Como São Jorge mantinha-se fiel a Jesus, o Imperador tentou fazê-lo desistir da fé torturando-o de vários modos. E, após cada tortura, era levado perante o imperador, que lhe perguntava se renegaria a Jesus para adorar os ídolos. Jorge sempre respondia: "Não, imperador ! Eu sou servo de um Deus vivo ! Somente a Ele eu temerei e adorarei". E Deus, verdadeiramente, honrou a fé de seu servo Jorge, de modo que muitas pessoas passaram a crer e confiar em Jesus por intermédio da pregação daquele jovem soldado romano. Finalmente, Diocleciano, não tendo êxito em seu plano macabro, mandou degolar o jovem e fiel servo de Jesus no dia 23 de abril de 303. Sua sepultura está na Lídia, Cidade de São Jorge, perto de Jerusalém, na Palestina.
A devoção a São Jorge rapidamente tornou-se popular. Seu culto se espalhou pelo Oriente e, por ocasião das Cruzadas, teve grande penetração no Ocidente.
Verdadeiro guerreiro da fé, São Jorge venceu contra Satanás terríveis batalhas, por isso sua imagem mais conhecida é dele montado num cavalo branco, vencendo um grande dragão. Com seu testemunho, este grande santo nos convida a seguirmos Jesus sem renunciar o bom combate.
Lendas: um horrível dragão saía de vez em quando das profundezas de um lago e se atirava contra os muros da cidade trazendo-lhe a morte com seu mortífero hálito. Para ter afastado tamanho flagelo, as populações do lugar lhe ofereciam jovens vítimas, pegas por sorteio. um dia coube a filha do Rei ser oferecida em comida ao monstro. O Monarca, que nada pôde fazer para evitar esse horrível destino da tenra filhinha, acompanhou-a com lágrimas até às margens do lago. A princesa parecia irremediavelmente destinada a um fim atroz, quando de repente apareceu um corajoso cavaleiro vindo da Capadócia. Era São Jorge.
O valente Guerreiro desembainhou a espada e, em pouco tempo reduziu o terrível dragão num manso cordeirinho, que a jovem levou preso numa corrente, até dentro dos muros da cidade, entre a admiração de todos os habitantes que se fechavam em casa, cheios de pavor. O misterioso cavaleiro lhes assegurou, gritando-lhes que tinha vindo, em nome de Cristo, para vencer o dragão. Eles deviam converter-se e ser batizados.
ge.
A quem ajuda: é a força de Deus na luta dos excluídos e marginalizados da sociedade.

Oração a São Jorge
Eu andarei vestido e armado com as armas de São Jorge para que meus inimigos, tendo pés não me alcancem, tendo mãos não me peguem, tendo olhos não me vejam, e nem em pensamentos eles possam me fazer mal.
Armas de fogo o meu corpo não alcançarão, facas e lanças se quebrem sem o meu corpo tocar, cordas e correntes se arrebentem sem o meu corpo amarrar.
Jesus Cristo, me proteja e me defenda com o poder de sua santa e divina graça, Virgem de Nazaré, me cubra com o seu manto sagrado e divino, protegendo-me em todas as minhas dores e aflições, e Deus, com sua divina misericórdia e grande poder, seja meu defensor contra as maldades e perseguições dos meu inimigos.
Glorioso São Jorge, em nome de Deus, estenda-me o seu escudo e as suas poderosas armas, defendendo-me com a sua força e com a sua grandeza, e que debaixo das patas de seu fiel ginete meus inimigos fiquem humildes e submissos a vós. Assim seja com o poder de Deus, de Jesus e da falange do Divino Espírito Santo.
São Jorge Rogai por Nós.
Aiaiai... Sábado fico mai velha. Saio da adolescência... aff. rsrsrs

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Homenagem



Quando nos conhecemos tínhamos objetivos diferentes dos que atingimos. Procurávamos um amor, mas conseguimos algo tão bom quanto, uma amizade que nem lembro direito quando começou, mas é especial demais.
Transmite-me, calma, equilíbrio, paz de espírito. Foi um anjo enviado dos céus quando meu tio estava mal no hospital. Sua atenção, carinho, preocupação me deixava feliz. Contava os minutos para receber um e-mail no meio do dia. Quando conversava com Deus perguntava se eu era normal, pois sendo ele tão espetacular, porque eu não me apaixonava por ele?
Via nas angústias dele as minhas. Via nas atitudes que ele tomou e toma, muitas coisas que fiz e faço.
Recebi dele força, incentivo. Muitas vezes até chorei depois de conversar com ele pelo MSN. Sentia-me normal, mas ficava tão triste por perceber que pessoas verdadeiras sofrem. Isso me parecia uma sentença.
Quando descobri o que meu coração me aprontava, essa paixonite por quem não deve, fiquei pior ainda. Já era notório que entre nós existia apenas uma amizade e sempre que marcávamos algo, eu como sempre não podia, enrolada com as atividades acadêmicas. Tive medo de perder seu carinho e sua amizade.
Depois de tanta angústia e tanta dúvida acho que ele encontrou seu amor. Estou feliz por isso, principalmente por saber que ele está radiante de felicidade.
Hoje é seu aniversário e fiz esse texto para que ele veja e saiba o quanto, em tão pouco tempo, se tornou especial em minha vida. É minha maneira de homenageá-lo.



Roberto,
Nesse dia especial (se tornou especial pra mim também!) quero que tudo que deseja (principalmente para esse fim de semana) se realize em sua vida. Que Papai do Céu derrame sobre ti muitas bênçãos. Te faça infinitamente feliz. Muita saúde, saúde, saúde, paz, harmonia, felicidade, dindin... Tudo de melhor, pois você se faz merecedor disso.
Obrigada por seu carinho, atenção e cuidado. Continue a torcer por mim. Começo a crer no que diz aquela música, que me enviaste que ouço toda hora: “Mas hoje eu sei. / Que volta sempre o sol, / E o escuro da noite vai clarear / E anunciar um novo amor”.
Que essa amizade que foi para ambos um presente de Deus, perdure por toda nossa vida.

Te gosto mt, demais da conta. Rsrsrs

Bjoks

quinta-feira, 9 de abril de 2009

1 ano de blog!!

Meu blog fez um ano. Queria postar algo legal, mas quando fui ver meu primeiro post achei tão atual que resolvi colocar aqui novamente.

Nesse um ano muita coisa aconteceu, mas ainda não me reinventei como gostaria, ainda estou em processo de mudança e acho que pra melhor. Me despindo do que não me faz bem.


Obrigada pelas visitinhas. E me desculpem pelo sumiço.


Ciclos
Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final... Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver. Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos. Não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram. Foi despedida do trabalho? Terminou uma relação? Deixou a casa dos pais? Partiu para viver em outro país? A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações? Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu...

Pode dizer para si mesmo que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó. Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seus amigos, seus filhos, seus irmãos, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado.

Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco.

O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar. As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora... Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!) destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem.

Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração e o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar. Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se. Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos. Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor. Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando, e nada mais. Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não têm data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do "momento ideal".

Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará!

Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa - nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade. Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante.

Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida.

Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é. Torna-te uma pessoa melhor e assegura-te de que sabes bem quem és tu próprio, antes de conheceres alguém e de esperares que ele veja quem tu és...

E lembra-te: Tudo o que chega, chega sempre por alguma razão.



PS: Obrigada pelos presentinhos e pelas visitinhas tenho visto os blogs, mas não tenho comentado. Meu início de período foi de arrancar os cabelos, mas passei bem, mt bem por ele.

Meu tio continua a se recuperar. Ainda sem Quimio e sem rádio, mas em casa.


Feliz Páscoa.

Bjoks

terça-feira, 17 de março de 2009

Assustada



Tantas coisas acontecendo ao mesmo tempo. Queria conseguir fazer como uma equação matemática parar minha vida e separar cada fator, cada incógnita seja familiar, amorosa, acadêmica, profissional... Um a um, analisar e solucionar. Mas já dizia Cazuza "o tempo não pára" e nem volta. Então levo a vida tentando resolver. Acreditando que as decisões tomadas são as mais acertadas.
O coração da pessoa está confuso, perdido, ferrado. Será que consigo mandar pra fábrica? Veio com defeito de fabricação. Não acerta nada. Já desisti, mas nem um recall rola?
Coitinho dessa vez a culpa foi minha. Sabia onde estava pisando e sempre deixei meu coração lá protegido, intocável. Mas as defesas foram se enfraquecendo quando julguei já ter domínio de tudo a vida me deu uma porrada. Drummond sabiamente citou: Há vários motivos para não se amar uma pessoa e um só para amá-la. Será que caí nesse um aí? Pior que nem sei qual. Dois dias em estado de choque sem dormir, sem acreditar no que eu sentia. Sem reação. Sei que preciso me defender levantar as defesas, pois nada mudará. Tomei as medidas que julguei as melhores e também não havia outra opção. Agora é seguir em frente e tentar fazer com que tudo volte ao normal (Normal? Será que era normal antes?)...
Tantos questionamentos, tantas dúvidas, tantas lágrimas, tantos medos...
Vou ficar por aqui com frases que me fazem refletir.



"Se alguém pensa ser alguma coisa, não sendo nada, engana-se a si mesmo." (Textos Bíblicos)


Amo a música, a voz, a melodia. Tudo perfeito, mas por hoje só o último refrão.

Wish you were here - (Pink Floyd)

How I wish, how I wish you were here
We're just two lost souls
Swimming in a fish bowl,
Year after year,
Running over the same old ground.
What have we found?
The same old fears
Wish you were here

P.S: Meu tio recebeu alta no domingo. Está em casa. Muito feliz por isso. Continuem rezando. Obrigada.
Bjoks

quinta-feira, 12 de março de 2009

Aborto - Violência sexual - Catolicismo

Este artigo foi escrito por uma freira e retirado do seguinte link: http://www.adital.com.br/site/noticia.asp?idioma=PT&cod=37628
Resolvi colocar aqui, pois muitos julgam o catolicismo pelas atitudes de alguns dirigentes insanos. Essa freira se manisfestou e provalmente será julgada e até punida, mas ela me faz ter muito orgulho do catolicismo.
Segue o texto (é grande mas vale a pena):
O cisma da hierarquia católicaIvone Gebara *
Adital -
Os últimos acontecimentos envolvendo a interrupção da gravidez da menina de nove anos em Pernambuco evidenciaram um fato que já estava presente desde muito tempo na vida da Igreja Católica Romana. Os bispos perderam o senso de governarem unidos aos desafios da história e à fé da comunidade e julgam-se mais fiéis ao Evangelho de Jesus do que a própria comunidade. Por manterem uma compreensão centralizadora e anacrônica de sua função e da teologia que lhe corresponde desviaram-se de muitos sofrimentos e dores concretas das pessoas, sobretudo das mulheres. Passaram a ser defensores de princípios abstratos, de incertas hipóteses futuríveis e pretenderam até ser advogados de Deus. A este acontecimento de distanciamento chamo de cisma. Os bispos tanto a nível nacional quanto internacional e aqui incluo também o Papa, como bispo de Roma, tornaram-se cismáticos em relação à comunidade de cristãos católicos, isto é, romperam com grande parte dela em várias situações. O incidente em relação a proibição da interrupção da gravidez da menina do qual Dom José Cardoso Sobrinho, arcebispo de Olinda e Recife foi um dos protagonistas é um exemplo irrefutável. Sem dúvida há muitas pessoas e grupos que pensam como eles e que reforçam seu cisma. Faz parte do pluralismo no qual sempre vivemos.
A hierarquia da Igreja, servidora da comunidade dos fiéis não pode em certas questões separar-se do sentido comum e plural da vivência da fé. Não pode igualmente para certos assuntos de foro pessoal e mesmo grupal substituir-se à consciência, às decisões e ao dever das pessoas. Pode emitir sua opinião, mas não impô-la como verdade de fé. Pode expressar-se, mas não forçar pessoas a assumir suas posições. Nesse sentido, não pode instaurar uma guerra santa em nome de Deus para salvaguardar coisas que julga serem vontade e prerrogativa de Deus. A tradição teológica na linha mais profética e sapiencial nunca permitiu que nenhum fiel mesmo bispo falasse em nome de Deus. E isto porque o deus do qual falamos fala em nosso nome e tem a nossa imagem e semelhança. O Sagrado Mistério que atravessa tudo o que existe é inacessível aos nossos julgamentos e interpretações. O Mistério que em tudo habita não precisa de representantes dogmáticos para defender seus direitos. Nossa palavra é nada mais e nada menos do que um balbuciar de aproximações e de idéias mutáveis e frágeis, inclusive sobre o inefável mistério. É nessa perspectiva que também não se pode obrigar que a Igreja hierárquica torne, por exemplo, a legalização do aborto sua bandeira, mas simplesmente que não impeça que uma sociedade pluralista se organize conforme as necessidades de suas cidadãs e cidadãos e que estes tenham o direito de decidir sobre suas escolhas.
As comunidades cristãs assim como as pessoas são plurais. Num mundo tão diverso e complexo como o nosso não podemos admitir que apenas a opinião de um grupo de bispos, homens celibatários e com uma formação limitada ao registro religioso, seja a expressão do seguimento da tradição do Movimento de Jesus. A comunidade cristã é mais do que a igreja hierárquica. E, a comunidade cristã é na realidade múltiplas comunidades cristãs e estas são igualmente muitas pessoas cada uma com sua história, suas escolhas e decisões próprias diante da vida.
Impressiona-me o anacronismo das posturas filosóficas e éticas episcopais começando pelos bispos brasileiros e continuando nas instâncias romanas como se pode ler na entrevista que o cardeal Giovanni Batista Re, presidente da Congregação para os bispos, deu a revista italiana Stampa concordando com a postura dos bispos brasileiros. Os tempos mudaram. Urge, pois, que a teologia dos bispos saia de uma concepção hierárquica e dualista do Cristianismo e perceba que é na vulnerabilidade às múltiplas dores humanas que poderemos estar mais próximos das ações de justiça e amor. É claro que sempre poderemos errar inclusive querendo acertar. Esta é a frágil condição humana.
Creio que nossas entranhas sentem em primeiro lugar as dores imediatas, as injustiças contra corpos visíveis e é a eles que temos o primeiro dever de assistir. A consternação e a comoção em relação ao sofrimento da menina de nove anos foram grandes. E isto porque é a esta vida presente e atuante, a esta vida de menina feita mulher violada e violentada em nosso meio que devemos o respeito e o cuidado primeiros. Por isso como membro da comunidade cristã, louvo a atitude do Dr. Rivaldo Mendes de Albuquerque e da equipe do CISAM de Recife assim como da mãe da menina e de todas as organizações e pessoas que acudiram a ela neste momento de sofrimento que certamente deixará marcas indeléveis em sua vida.
Dirão alguns leitores que minha postura não é a postura oficial da Igreja Católica Romana. Entretanto, o que significa hoje a palavra oficial? O que é mesmo Igreja oficial? A instituição que se arvora como representante de seu deus e ousa condenar a vida ameaçada de uma menina? A instituição que se considera talvez a melhor seguidora do Evangelho de Jesus?
Não identifico a Igreja à hierarquia católica. A hierarquia é apenas uma parte ínfima da Igreja.
A Igreja é a comunidade de mulheres e homens espalhada pelo mundo, comunidade dos que estão atentos aos caídos nas estradas da vida, aos portadores de dores concretas, aos clamores de povos e pessoas em busca de justiça e alívio de suas dores hoje. A Igreja é a humanidade que se ajuda a suportar dores, a aliviar sofrimentos e a celebrar esperanças.
Continuar com excomunhões, inclusões ou exclusões parece cada vez mais incentivar o crescimento de relações autoritárias desrespeitosas da dignidade humana, sobretudo, quando surgem de instituições que pretendem ensinar o amor ao próximo como a lei maior. De quem Dom José Cardoso e alguns bispos se fizeram próximos nesse caso? Dos fetos inocentes, dirão eles, aqueles que precisam ser protegidos contra o "Holocausto silencioso" cometido por algumas mulheres e seus aliados. Na realidade, fizeram-se próximos do princípio que defendem e se distanciaram da menina agredida e violentada tantas vezes. Condenaram quem levantou a menina caída na estrada da vida e salvaguardaram a pureza de suas leis e a vontade de seu deus. Acreditam que a interrupção da gravidez da menina seria uma lesão ao senhorio de Deus. Mas as guerras, a crescente violência social, a destruição do meio ambiente não seriam igualmente lesões que mereceriam denúncia e condenação maior? Perdoem-me se, sem querer acabo julgando pessoas, mas diante da inconsistência de certos argumentos e da insensibilidade aos problemas vividos pela menina de nove anos uma espécie de ira solidária me assola as entranhas.
De fato um cisma histórico está se construindo e tem crescido cada vez mais em diferentes países. A distancia entre os fiéis e uma certa hierarquia católica é marcante. O incidente em relação à interrupção da gravidez da menina pernambucana é apenas um entre os tantos atos de autoritarismo e desconhecimento da complexidade da história atual que a hierarquia tem cometido.
Na medida em que os que se julgam responsáveis pela Igreja se distanciam da alma do povo, de seu sofrimento real estarão sendo os construtores de um novo cisma que acentuará ainda mais o abismo entre as instituições da religião e a simples vida cotidiana com sua complexidade, desafios, dores e pequenas alegrias. As conseqüências de um cisma são imprevisíveis. Basta aprendermos as lições da história passada.
Termino este breve texto lembrando do que está escrito no Evangelho de Jesus de diferentes maneiras. Estamos aqui para viver a misericórdia entre nós. E todos nós necessitamos dessa misericórdia, único sentimento que nos permite não ignorar a dor alheia e nos ajudarmos a carregar os pesados fardos uns dos outros.
* Teóloga

sexta-feira, 6 de março de 2009

Sorri

Andei sumida. Senti falta daqui. Entrava nos blogs, mas meu desânimo era muito grande. Meu mês de fevereiro não foi muito fácil. Feliz porque fez 5 anos que minha mãe tirou o tumor. Venceu o período mais crítico e muito triste, pois meu tio foi internado e esteve muito mal. Respirando com ajuda de aparelhos. Mês passado tive A sexta-feira 13. Foi um dos dias / noite mais difícil dos últimos tempos. Chorei muito. Muito medo e desespero em minha família. Cada vez que um celular tocava o coração parecia que ia saltar pela boca com medo da notícia que podia estar chegando. Só em lembrar já estou chorando. Durante esse mês difícil também tive a oportunidade de VERDADEIRAMENTE abrir meu coração pro Papai do Céu e assim consegui tirar de dentro dele uma mágoa muito grande. Às vezes as dificuldades surgem para aprendermos que há coisas muito maiores para nos preocuparmos.
Consegui sentir Deus muito próximo a mim e a minha família. Obtive no domingo seguinte a tal sexta-feira 13 durante a missa respostas claras de todo amor de Deus por mim. Nunca imaginei que Deus pudesse se tão claro em nossas vidas. Coloquei meu tio nos braços dele e pedi que mais uma vez ele operasse um milagre em minha família, que tem tanto pra agradecer. Quem crer não pode duvidar de que ele faz sempre o melhor. Ele sabe que minha vontade é que meu tio viva muito, mas que viva bem e com saúde. Vi seu sofrimento e não quero que ele fique entre nós sofrendo, por mais que isso doa no mais profundo de minha alma, sei que Deus sabe o que é melhor e creio que mais uma vez ele nos dará força para superar essa doença.
Meu tio ainda está no hospital. Já está no quarto e seu estado ainda é grave. Seu pulmão foi queimado pela radioterapia, mas superou a pneumonia e a infecção. Seu maior problema agora é depressão.
Peço a todos independente de religião, que peça a Deus que olhe por ele e pelas minhas primas que estão vivendo um desespero que não desejo a ninguém.
Obrigada a todos que vieram aqui e deixaram seus recadinhos.
Música que me usei muito quando minha mãe esteve doente e agora uso mais uma vez.

Estou voltando e tenho muitas news.

*************************************************************************************

Sorri
Djavan
Composição: Charles Chaplin/G.Parson/J. Turner


Sorri

Quando a dor te torturar
E a saudade atormentar
Os teus dias tristonhos, vazios

Sorri
Quanto tudo terminar
Quando nada mais restar
Do teu sonho encantador

Sorri
Quando o sol perder a luz
E sentires uma cruz
Nos teus ombros cansados, doridos

Sorri
Vai mentindo a tua dor
E ao notar que tu sorris
Todo mundo irá supor
Que és feliz

domingo, 1 de fevereiro de 2009

Avós

Existe algo de mais especial na vida de alguém do que poder chegar à fase adulta da vida e ainda ter os avós vivos?
Perdi meu avô quando tinha três anos, mas tenho lembranças dele até hoje. Foi o meu avô, meu pai e meu padrinho. Gostaria muito de tê-lo aqui, sei que tudo seria mais alegre, apesar de ter certeza de que onde está olha por toda minha família.
Sábado passado, minha avó comemorou 89 anos de vida e resolvemos fazer um bolinho na casa dela. Naquelas horas que estive lá me lembrei de tantas coisas, da pessoa que ela era e na que temos hoje em dia.
Minha avó sempre foi uma mulher forte, batalhadora... Ela e meu avô não chegaram nem a concluir o primário, mas criaram um filho que se tornaria médico e uma filha economista, mais todos os parentes que ajudaram a encaminhar, já que moravam na cidade.
Minha avó sempre foi pé no chão, já meu avô o sonho. Talvez por isso ficaram juntos até que a morte de meu avô os separou há quase 22 anos atrás. Ela permaneceu forte, vaidosa, religiosa, uma cozinheira de mão cheia. Adora vir pro Rio passar as férias com ela, apesar de não ser a neta predileta. O predileto sempre foi meu irmão mais velho (o primeiro neto homem) e minhas primas (primeiras netas), mas não tinha problema. Íamos à praia, ao cinema, tomávamos sorvete e comíamos muita batata frita, pois ela adorava e minha mãe não gostava que nós comêssemos. Não se metia em nossa educação, mas se necessário dava umas palmadas. Ensinou-me a rezar. Ouvia a Ave Maria sempre às 18hs na Rádio Globo e nos fazia ouvir também e a pedir a benção. Só então a televisão podia ser ligada. Era chato, mas hoje sinto falta. Quando tive pneumonia me obrigava a tomar vitaminas e sucos de uma em uma hora. Não suporto vitamina até hoje, mas agradeço a Deus por ter tido ela para ajudar minha mãe, pois a babá nunca me obrigava.
Quando mudei para o Rio fomos morar no mesmo prédio. Tivemos muitos conflitos. Fiquei sem ir a casa dela, mas hoje eu compreendo tudo. Adolescia.
De uns anos pra cá minha avó foi esquecendo as coisas aos poucos e se tornando dependente de tudo. Hoje em dia muito mal sabe quem é. Dói muito vê-la assim. No mês de dezembro nos deu um susto, pois tomou um tombo. Foi horrível. No dia de Natal tive uma crise de choro, sua fragilidade me fez acreditar que foi o último Natal dela “entre nós”. No dia de seu aniversário agradeci a Deus por tê-la aqui e por poder segurar sua mão e ouvir depois de tanto tempo “Minha netinha, eu te amo. Você é linda”. Cantamos um hino que ela gostava de ouvir na igreja (ela era do coral) e ela ficou alegre e até acompanhou o hino, eu a neta idiota, fiquei aos prantos. Ela não soube do câncer da minha mãe e nem sabe do câncer que meu tio enfrenta, mas se lúcida estivesse, ia cambalear, mas estaria ao lado dele, fazendo muitas vitaminas, sopas, papa, rezando e dizendo que aquilo ia passar, pois Deus é muito mais.
Vi que minha avó soube viver, soube ser mãe, amiga, mulher, pois ao término de sua vida tem muitas pessoas que a amam a sua volta, que cuidam dela com muito amor. Queira Deus que eu possa chegar ao término da minha vida assim.
Durante essa semana vi minha melhor amiga perder sua avó e todo sofrimento que isso trouxe a ela e a sua família. Chorei muito. Adorava a avó dela e o “vô” tadinho, está sofrendo muito. Estive com ela no fim do ano passado e ninguém podia imaginar que isso aconteceria. Vida e morte sempre caminhando juntos.
Tenho medo de perder “a minha”, por mais que a D. Natinha que esteja lá não seja “a mesma” da minha infância que dizia que não veria os meus 15 anos. E viu. Queria ela bem forte na minha formatura que ela sempre sonhou, mas Deus não quis assim. Então que seja feita a vontade dele.
Aproveitem esses anjos chamados avós. Ouçam bem o que dizem, pois seus cabelos brancos e suas rugas são sinônimos de experiência. Abracem e beijem muito, pois o manhã pode não chegar.
*************************************************************************************
Estou sumida. Meu tio está muito debilitado. E coisas não muito boas aconteceram nesse início de ano. Me dedicando mais à minha família e aos meus amigos, estão precisando de mim.
Bjoks

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Ventos


Meu coração anda meio perdido, solitário. Li esse texto e fiquei otimista. Ainda não me deram nada, se me deram ainda não aprendi a amar e talvez não seja bom amar o que tenho. Quero muito mais do que me oferecem.
Outro dia me perguntei há quanto não ouço um "Eu te Amo", dito de verdade. Fiquei triste e depois alegre, afinal "eu te amo" não se diz pra qualquer um.
Fiz uma grande reflexão e vi que estou indo por caminhos muito arriscados e que o fim eu já sei. Se a vida é como ensinam em matemática financeira - quanto maior o retorno, maior o risco - o risco não compensa o retorno. Não quero me machucar, nem sofrer. Sei que não sou capaz de mandar em meu coração e tenho medo do que ele me reserva. Muita coisa mudou e nesse momento revivo o passado sabendo que aquela Carla não existe mais, que eu mudei e quero outras coisas. Sei que estou confusa, querendo tomar posse da minha vida e sem saber como. Falta me atitude e não só atitude, mas comprometimento com a decisão que eu tomar.
Que os ventos tragam logo o que é meu.
Oh céus! Oh vida!

Bjoks

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Quase


Ainda pior que a convicção do não, é a incerteza do talvez,é a desilusão de um quase! É o quase que me incomoda,que me entristece, que me mata trazendo tudo que poderia ter sido e não foi. Quem quase ganhou ainda joga, quem quase passou ainda estuda,quem quase amou não amou. Basta pensar nas oportunidades que escaparam pelos dedos, nas chances que se perdem por medo, nas idéias que nunca sairão do papel por essa maldita mania de viver no outono. Pergunto-me, às vezes, o que nos leva a escolher uma vida morna? A resposta eu sei de cor, está estampada na distância e na frieza dos sorrisos, na frouxidão dos abraços, na indiferença dos “bom dia”, quase que sussurrados. Sobra covardia e falta coragem até para ser feliz.A paixão queima, o amor enlouquece,o desejo trai. Talvez esses fossem bons motivos pra decidir entre a alegria e a dor. Mas não são. Se a virtude estivesse mesmo no meio-termo, o mar não teria ondas, os dias seriam nublados e o arco-íris em tons de cinza. O nada não ilumina, não inspira, não aflige nem acalma, apenas amplia o vazio que cada um traz dentro de si. Preferir a derrota prévia à dúvida da vitória é desperdiçar a oportunidade de merecer. Para os erros há perdão, para os fracassos, chance, para os amores impossíveis, tempo. De nada adianta cercar um coração vazio ou economizar alma. Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de tentar. Desconfie do destino e acredite em você. Gaste mais horas realizando que sonhando... Fazendo que planejando... Vivendo que esperando... Porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu.
Luís Fernando Veríssimo

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*
Ando sem criatividade. Nada de muito legal para escrever. Um texto para alguém que assim como eu, precisa tomar coragem para tomar certas atitudes.

Bjoks

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Feliz 2009!!

Tentei nos últimos dias fazer um balanço sobre o ano de 2008, mas não consegui. Passei por fases tranqüilas e outras nem tanto assim.

O ano de 2007 foi um dos mais complicados de minha vida, então quando 2008 chegou, junto veio a esperança que tudo se resolvesse.
Esse novo ano não será fácil, mas terei grandes realizações. Sinto que terei pedras enormes em meu caminho, ainda por conta de 2007, mas essas pedras são as mais importantes no castelo que venho construindo com as pedras que encontro e removo.
Não fiz plano, nem listinhas. Farei o melhor por mim e por minha felicidade.

Meu tema musical para 2009 é este abaixo.

Que Deus abençoe o ano de todos.

Feliz 2009!!!

O Sol Nascerá
Cartola

A sorrir

Eu pretendo levar a vida

Pois chorando

Eu vi a mocidade

Perdida


Fim da tempestade

O sol nascerá

Finda esta saudade

Hei de ter outro alguém para amar


A sorrir

Eu pretendo levar a vida

Pois chorando

Eu vi a mocidade

Perdida


Bjoks


P.S: Estou voltando. Férias!!! ;)